sábado, 4 de fevereiro de 2017

Parque Olímpico está abandonado após quatro meses do encerramento dos Jogos Olímpicos

(Foto: Carolina Oliveira Castro)

Por Redação Blog do Esporte


Um local que foi sinônimo do esporte mundial em 2016 está completamente abandonado. Após quatro meses do encerramento da Rio 2016, o Parque Olímpico da Barra, no Rio de Janeiro, está aparentemente em processo de degradação. Estruturas estão desmontadas pela metade, piscinas estão sujas e vidros estão quebrados.


A reportagem do jornal O Globo teve acesso as áreas no entorno de algumas arenas e foi constatado que estruturas temporárias continuam montadas, há muito lixo, falta de manutenção, piscinas sujas com água parada, além de cadeiras e outros objetos que estão sem cobertura e expostos ao sol e chuva.

Pelo menos quatro contratos emergenciais foram assinados com a M. Rocha Engenharia que, segundo a reportagem, seriam usados para manter o local limpo e conservado. No entanto, a reportagem não encontrou essas manutenções e tampouco os funcionários que deveriam fazer o serviço.

Algumas estruturas das arenas e também para abrigar atletas e imprensa, que foram montadas de caráter provisório, continuam no local e sem prazo para serem retiradas. Em toda parte é possível encontrar algo que já esteja desgastado, sujo, se soltando ou mesmo quebrado. Vidros, por exemplo, a maioria foram quebrados ou estão soltos.

O destino do Parque Olímpico sempre foi uma preocupação. O então prefeito Eduardo Paes assumiu a gestão e iria repassá-la para a iniciativa privada, o que caberia a mesma realizar as desmontagens restantes, além de executar a adaptação do Parque, que incluía uma pista de atletismo. “Por falta de interessados, a prefeitura cancelou a licitação e passou a gestão para o Ministério do Esporte”, diz a reportagem.

Entretanto, a posição tanto da Prefeitura quando do ME era de que uma liminar havia cassado o acordo das partes. Segundo a reportagem, não há mais esse impedimento, mas nenhuma explicação foi dada sobre como o Parque Olímpico será mantido.

(Foto: Carolina Oliveira Castro)