quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Patrocinador não paga Corinthians e já negocia novo contrato após 4 meses



Patrocinador do Corinthians desde setembro, a empresa Apollo Sports se tornou problema para a direção do clube em pouco tempo.

Sem pagar há dois meses pela barra da camisa, propriedade a que tem direito, a Apollo renegocia neste momento o contrato que foi firmado para três anos. A relação entre parceira e clube, em pouco tempo, começou e segue conturbada.


Por um contrato de cerca de R$ 12 milhões por ano, a Apollo Sports pretendia funcionar como uma "terceirizadora" de patrocínios. Dona do espaço às costas, venderia para parceiras pontuais colocarem suas marcas na camisa corintiana. A ideia, porém, não surtiu efeito até aqui. 

Depois de vender o espaço inicialmente para o Café Bom Dia, que permaneceu dois meses na camisa do Corinthians, a Apollo alega ao clube que não conseguiu mais encontrar interessados. 

As justificativas para essa crise são diversas. A principal delas é que a credibilidade da empresa foi prejudicada desde o início da parceria. Uma nota oficial da Arena Corinthians contra a própria Apollo , segundo executivos do grupo disseram ao clube, deixou empresas interessadas em dúvida. Além disso, a divulgação de notícias que ligavam a empresa com a Operação Lava-Jato também afetou a reputação, segundo declararam os representantes aos dirigentes corintianos.

Para discutir novamente o contrato, a Apollo Sports concordou em suspender temporariamente o vínculo vigente e autorizar o Corinthians a vender o espaço a patrocinadores pontuais. 

Nos últimos dias, as partes avançaram para que o contrato tenha cláusulas de confidencialidade entre as partes, o que protege juridicamente a Apollo Sports. Além disso, a empresa deseja mudar a forma de pagamento ao Corinthians. Um dos pontos que também causou dificuldades na prospecção de parceiros é o poder de veto que a direção corintiana tem direito. Uma empresa recentemente apresentada pela Apollo foi vetada pelo clube. 

Na atual gestão do presidente Roberto de Andrade, o Corinthians enfrenta algumas dificuldades com parceiros comerciais do uniforme. Apresentada como patrocinadora, a empresa Klar estampou a camisa por uma partida e saiu sem pagar nada. A WinnerPlay também firmou acordo por três anos, mas rescindiu seu contrato sete meses depois. Segundo apurou a reportagem, apesar das dificuldades, a Apollo Sports deve seguir parceira corintiana com um novo acordo de detalhes ainda não revelados. 

À reportagem, o Corinthians informou não poder se pronunciar após firmar cláusula de confidencialidade. O UOL Esporte também tentou contato com a Apollo Sports por meio de assessoria de imprensa e dos telefones da empresa, mas não conseguiu sucesso nas chamadas. 

UOL Esporte