quinta-feira, 23 de março de 2017

Alfinetadas: Há uma empolgação exagerada na nova Fórmula 1?

(Foto: Reprodução)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


As grandes novidades envolvendo a Fórmula 1, que agora é controlada por um grupo dos Estados Unidos e perdeu o domínio de Bernie Ecclestone, trazem novos ares para a categoria, que por muito tempo foi o xodó de muitos brasileiros. Mas será que essas mudanças vão realmente empolgar a categoria?


O que vemos nos bastidores é um verdadeiro "corre-corre" para a preparação das equipes. Vale ressaltar que nem sempre o que foi visto nas corridas de pré-temporada aconteceu no campeonato. Exemplo disso foi a Williams em 2016, que empolgou tanto os torcedores - principalmente os brasileiros - e não conseguiu ir muito longe.

Esta semana foi a vez da Red Bull e Mercedes trocarem "gentilezas" nos bastidores, já que a RBR disse que está com um motor potente, mas a atual campeã mundial criticou a experiência de misturar óleo com combustível para ter mais potência no motor.

Felipe Massa "retorna" para a F1 para não deixar o Brasil sem representante. Aliás, foi realmente o mal desempenho dos corredores brasileiros que diminuiu a audiência da categoria no país, onde foi notório a "despreocupação" da Globo em transmitir a categoria em 2016. Agora, a promessa é que a F1 ficará mais veloz.

Como tudo é imprevisível, não podemos prever o que a temporada promete, mas ela já se mostra uma categoria renovada, de um jeito mais "estadunidense" de acontecer. Esperamos que os motores se aqueçam e mantenham a adrenalina prometida até o final, senão tudo passará de apenas promessas e o torcedor continuará a desprezar a Fórmula 1.