sábado, 18 de março de 2017

Em campanha por "Lei Caio Júnior", técnicos se unem e vestirão camisa

(Foto: Reprodução)


Uma homenagem para chamar atenção. É isso que técnicos do Brasil todo farão neste fim de semana para que parlamentares e dirigentes de clubes deem sequência no processo de criação da "Lei Caio Júnior", que leva o nome do ex-técnico da Chapecoense, uma das vítimas do acidente na Colômbia no ano passado, e diversos benefícios a treinadores de futebol.


Os técnicos, a fim de tentarem agilizar a criação da lei, utilizarão neste fim de semana uma camisa com fotos de Caio Júnior, o número do projeto de lei e a frase: "Lei Caio Júnior" estampada no peito. Vagner Mancini, vice-presidente da Federação Brasileira de Técnicos de Futebol (FBTF) e atual comandante da Chapecoense, explica o movimento.

- Queremos chamar atenção do parlamentares em Brasília e dos dirigentes esportivos para a necessidade dos treinadores terem uma lei que os proteja de melhor forma e lhes traga tranquilidade para trabalhar - disse o treinador. 

De autoria do deputado José Rocha (PR/BA), a emenda solicita que os contratos dos treinadores, auxiliares e preparador de goleiros sejam registrados na CBF e federações estaduais - o que permitiria que Caio Júnior tivesse direito ao seguro -, cursos de qualificação tenham a anuência da entidade e que os responsáveis por quebras de vínculo arquem com os custos da rescisão, seja clube ou profissional, entre outras. O projeto já tem a aprovação das comissões de esportes e do trabalho, sendo encaminhado para de constituição de Justiça, na capital federal, último passo antes de ser votado na Câmara. 

Por exigência da Lei Pelé, todos os clubes devem realizar seguros de vida para seus atletas. De acordo com a CBF, por conta da dificuldade de muitas agremiações, a própria assumiu esta função em maio do ano passado, desde que o atleta estivesse registrado no BID. A entidade afirma ainda que toda renda do amistoso entre Brasil x Colômbia, dia 25, no Rio de Janeiro, será revertida, via clube catarinense, justamente para familiares de jogadores, comissão técnica e dirigentes vitimados na tragédia.

Globo Esporte