quarta-feira, 29 de março de 2017

Em dia de ovação a Tite, Neymar desencanta contra Paraguai e Brasil fica perto da Copa

(Foto: Pedro Martins)


Nem Neymar, Coutinho, Renato Augusto, Fagner... o mais ovacionado na Arena Corinthians foi o técnico Tite. O treinador voltou a comandar uma equipe no estádio onde se consagrou com o Timão e foi recebido com carinho por toda a torcida, não apenas pelos corintianos presentes. Desde antes de a bola rolar. O nome do técnico foi o mais festejado no anúncio da escalação. Durante o jogo, foram vários os momentos em que ele teve o nome gritado. Tite se emocionou e agradeceu à torcida. Ele chegou à nona vitória no comando da Seleção, oito pelas eliminatórias.


O JOGO
“Segura que eu quero ver!”. Com permissão de Galvão Bueno, seu bordão explica o Brasil. Coutinho pega a bola, dribla, vai pra cima, dribla de novo, tabela e gol. Neymar pega a bola passar por um, por dois, dribla, chuta e gol. Assim foi construída a vitória por 3 a 0 – completada por Marcelo, após sublime troca de passes – sobre o Paraguai, que pode selar a classificação para a Copa do Mundo. Uma equipe que tem posse de bola, mas não fica no passinho pra cá, passinho pra lá. Gosta do drible, e quanto mais apanha, mais dribla. A segurança coletiva permitiu que o talento de Coutinho e Neymar, apesar de um pênalti perdido, decidissem.

Um jogo tranquilo, mas não fácil. O Paraguai não mostrou força para atacar, mas conseguiu tirar espaços do Brasil com um time bem compacto e faltoso. Neymar apanhou duas vezes em quatro minutos. Saiu da esquerda para o meio, continuou driblando e atraindo a marcação, tanto que deixaram Coutinho, na direita, no mano a mano. O garoto do Liverpool arrancou, levou para dentro, tabelou com Paulinho e bateu de esquerda, no cantinho.

Neymar voltou para o gramado sem jamais ter feito um gol no Paraguai, e decidido a mudar a história. Na primeira arrancada, foi derrubado e o árbitro peruano Victor Carillo marcou pênalti. O goleiro Antony Silva defendeu a cobrança do craque. O melhor estava por vir. Numa disparada sensacional pela esquerda, a jato, Neymar deixou dois para trás, invadiu a área e, enfim, colocou o Paraguai na lista de vítimas. O camisa 10 ainda teve um gol anulado por impedimento, mas participou, com Coutinho e Paulinho, do golaço de Marcelo. O Brasil podia ter feito mais. Mas fez a alegria e o orgulho do brasileiro. Nada melhor que isso.

(Foto: Marcos Ribboli)

PÚBLICO E RENDA
44.378 pessoas estiveram na Arena Corinthians e geraram uma renda de R$ 12.323.925,00. É a segunda maior renda da história do futebol brasileiro, atrás apenas da final da Libertadores de 2013, no jogo entre Atlético-MG e Olimpia, no Mineirão.

PRÓXIMOS JOGOS
As equipes só voltam a jogar pelas eliminatórias nos dias 31 de agosto e 5 de setembro. O Brasil receberá o Equador, em cidade ainda indefinida, e visitará a Colômbia, em Barranquilla. O Paraguai, nas mesmas datas, pegará Chile (fora) e Uruguai (em casa).

Antes, porém, nos dias 9 e 13 de junho, o Brasil disputará amistosos contra Argentina e Austrália, respectivamente, ambos na cidade de Melbourne.

O Brasil, com 33 pontos, está praticamente classificado. Com a vitória, garantiu pelo menos o quinto lugar, que dá direito a disputar a repescagem contra o melhor da Oceania. Mas se o Uruguai perder do Peru, em Lima, em jogo que teve início às 23h15, a Seleção será já nesta madrugada a primeira classificada para a Copa do Mundo de 2018.

O Paraguai, por sua vez, com 18 pontos, está quatro atrás da atual quinta colocada, a Argentina. Veja a tabela das eliminatórias!

PAULINHO
O volante deu passes de calcanhar nos gols de Coutinho e Marcelo, entrou na área para finalizar, quase fez um gol de cabeça... Mais uma atuação impecável, dias depois de fazer três gols sobre o Uruguai. Um show!

THIAGO SILVA
O zagueiro, que só havia entrado em campo por cinco minutos com Tite – e nem isso com Dunga nas eliminatórias –, substituiu Marquinhos no intervalo e fez dupla por todo o segundo tempo com Miranda, que teve mais uma grande atuação.

A torcida paulista passou o jogo inteiro gritando “bicha” nas reposições de bola do goleiro Antony Silva. Por isso, a CBF deve ser multada. A punição já ocorreu duas vezes em 2016, após os jogos em Manaus, contra a Colômbia, e Natal, diante da Bolívia.

O Brasil tinha oito pendurados, que ficariam fora da partida de agosto contra o Equador se levassem o cartão amarelo. Nenhum deles levou. Miranda, Marcelo, Casemiro, Paulinho, Renato Augusto, Filipe Luís, Fernandinho e Giuliano estarão aptos a jogar.

(Foto: Pedro Martins)

Globo Esporte