sexta-feira, 24 de março de 2017

Jogo coletivo funciona, Franca bate o Brasília no DF e esquenta briga pelo G-4

(Foto: Brito Júnior / UniCEUB)


A torcida candanga estava com saudades do Brasília. Foram 35 dias sem uma partida do time na capital federal. Mas o reencontro não foi da maneira que as arquibancadas do Ginásio da Asceb esperavam. Em confronto direto da parte de cima da tabela do NBB, os tricampeões receberam o Franca em noite de ataque inspirado da equipe paulista. Após passar a maior parte do jogo atrás do placar, os donos da casa até conseguiram levantar a galera ao assumir a frente no último período, mas os visitantes tiveram frieza para reassumir o controle, segurar a pressão no fim e vencer por 92 a 88.

O resultado coloca fogo na disputa pelo G-4 - grupo dos times que ganham folga na primeira rodada dos playoffs. O Brasília segue na terceira colocação, com 17 vitórias e 8 derrotas, mas agora tem a mesma campanha do quarto colocado, Bauru, justamente o próximo adversário da equipe candanga. Já o Franca vem colado nos rivais, em quinto, com apenas uma vitória a menos (16v, 9d).


Jogo coletivo faz a diferença

O cestinha da partida foi o capitão do Brasília, Guilherme Giovannoni, com 25 pontos. Mas foi o jogo coletivo de Franca que realmente fez a diferença. Com um ataque versátil, comandado pelo armador Alexey, a equipe do interior paulista deixou a marcação do Brasília sem resposta a maior parte do jogo. Anotando 20 pontos ou mais em todos os quartos, o sistema ofensivo foi peça chave para a vitória francana.

Ao fim, seis dos 10 jogadores de Franca que entraram em quadra conseguiram dois dígitos em pontuação. Destaque para Pedro, que marcou 20. Cauê, que estava com a mão quente da linha dos três, contribuiu com 16, além de Cipolini (14), Isaac (13), Alexey (12) e João Pedro (10).

Curry, é você?

O triunfo de Franca ainda foi marcado por um lance que certamente estará entre os mais bacanas de toda a temporada. Nos segundos finais do segundo quarto, Cauê arriscou um chute de perto da marca de lance livre da quadra de defesa. A bola viajou bonito e caiu direto na rede, garantindo três pontos que foram importantes para a vitória dos visitantes no fim.

Fúlvio quebra marca, mas não evita derrota

Líder em assistências do NBB, Fúlvio também fez sua parte e conduziu bem o ataque do Brasília. O armador distribuiu impressionantes 17 passes para cesta e estabeleceu a meilhor marca neste fundamento na atual temporada em todo o NBB. Contudo, o bom desempenho, que contou ainda com 10 pontos, não foi suficiente para evitar a derrota.

A defesa do Brasília foi dominada a maior parte do jogo. Quando a marcação funcionou bem, entre a reta final do terceiro período e início do último quarto, o time chegou a liderar o placar. Mas novamente, acabou envolvido pelo ataque inspirado de Franca, o que custou a vitória aos candangos.

Preocupação com Alemão

Além da derrota, outra notícia ruim para o Brasília foi a lesão do pivô Daniel Alemão. Na metade do último quarto, o jogador, que vinha fazendo boa partida, acabou sentindo um problema no joelho e deixou a quadra carregado. O clube ainda não passou detalhes sobre a gravidade da lesão, mas há o risco de o Brasília perder o jogador por algumas semanas.

Quarto a quarto

O Brasília até que começou a partida bem. Marcando muito e sem dar bobeira no ataque, os donos da casa abriram 5/0 rapidamente. Mas o domínio durou pouco. A defesa do Franca cresceu e o sistema ofensivou passou a funcionar como música. Com Alexey distribuindo ótimas assistências e mira calibrada de Cipolini, Pedro e Cauê, os visitantes não demoraram a assumir a frente do placar (12/16). A boa entrada do pivô Alemão ajudou a manter o Brasília no jogo, mas o Franca fechou o primeiro período com um ponto de vantagem após Cauê acertar cesta da quadra de defesa: 22/23.

No segundo quarto, o equipe paulista deslanchou. A defesa continuou dando trabalho para Fúlvio, Giovannoni e Cia. Já no ataque, o Franca envolveu completamente a marcação do Brasília. Alexey continuou ditando o ritmo, Cipolini se impondo no garrafão e Isaac veio quente do banco para anotar nove pontos e ajudar os visitantes a irem para o intervalo com boa vantagem: 38/49.

O panorama da partida se manteve no início do terceiro período (40/53), até que uma bola roubada na defesa que terminou com cesta de 3 pontos de João Phylippe começou a mudar as coisas para o Brasília. O lance acordou o ginásio da Asceb e o time seguiu o embalo em quadra, anotou oito pontos seguidos, cortou a diferença para quatro (50/54) e obrigou o técnico Helinho a pedir tempo. A pausa deu certo o Franca voltou a abrir dez (52/62). Mas o Brasília já tinha se encontrado em quadra. A defesa começou a impor mais dificuldades a Alexey, e com o contra-ataque eficiente, os donos da casa fecharam o período perdendo por apenas três pontos: 69/72.

Uma bola de 3 pontos de Alex deixou tudo igual no placar logo no início do último quarto (72/72). A virada veio na sequência, com outra bola de três, desta vez, com Fúlvio (75/72). Embalado, o Brasília chegou a abrir cinco de frente. Mas o Franca soube manter a tranquilidade, voltou a se movimentar bem no ataque e retomou a frente a cinco minutos do fim (79/81). Daí para a frente, a partida pegou fogo de vez. As duas equipes passaram a se alternar na frente e, a dois minutos do fim, os rebotes ofensivos fizeram a diferença para os visitantes, que conseguiram se descolar no placar (87 82). Duas bolas de três de Fúlvio e Giovannoni ainda alimentaram as esperanças do Brasília a quatro segundos do fim, mas o Franca conseguiu segurar a pressão para vencer por 92 a 88.

Próximos jogos

O Brasília volta a jogar neste sábado, novamente em casa, quando recebe o Bauru, às 14h, em mais um confronto direto da parte de cima da tabela.

Também no sábado, o Franca vai até Belo Horizonte, enfrentar o Minas, às 17h (horários de Brasília).

Globo Esporte