quarta-feira, 8 de março de 2017

Justiça rejeita defesa de acusados em fraudes da CBTKD e marca audiência

(Foto: Reprodução)


A Justiça Federal rejeitou os argumentos de defesa prévia dos acusados de participar de um esquema que fraudava licitações para a compra de materiais esportivos e contratações de empresas por parte da Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD). A denúncia causou o afastamento do presidente da confederação Carlos Fernandes. O despacho, assinado pelo juiz federal Alexandre Libonati de Abreu e publicado nesta segunda-feira, também define uma data para que todos os envolvidos sejam ouvidos em uma audiência.


No documento, o juiz informa que os defensores dos envolvidos afirmam que a denúncia do Ministério Público Federal utiliza de argumentos genéricos para justificar a participação dos acusados, mas não especifica os fatos praticados pelos mesmos em todo o processo de fraude de licitações.

Também no documento, Abreu afirma que acompanhou pessoalmente as gravações telefônicas obtidas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal durante apreensões realizadas na sede da CBTKD. Por isso, o juiz acredita que a afirmação dos advogados dos acusados é nula e teve de ser rejeitada.

O juiz, porém, concedeu que seja feita uma perícia nos documentos apreendidos e relacionados ao acusado Paulo Dias, que responde pelo suposto ato de fraude na venda de materiais esportivos da marca Daedo para a CBTKD. A Polícia Federal fará uma perícia nas notas fiscais para comprovar ou não o superfaturamento nas meias e coletes eletrônicos vendidos.

O mesmo direito, no entanto, não foi concedido ao acusado Harlei Azevedo. Ele é suspeito fraudar a licitação para a venda de tatames à CBTKD. A defesa de Harlei pediu essa perícia para que fosse feito um confronto de informações, mas não especificou como isso ajudaria a esclarecer o caso e, portanto, teve seu pedido indeferido pelo juiz.

Uma audiência de instrução e julgamento está marcada para o dia 28 de abril, onde réus e testemunhas serão ouvidas. As pessoas que não morarem na região metropolitana do Rio de Janeiro poderão ser ouvidas por videoconferência.

O GloboEsporte.com entrou em contato com a CBTKD no início da tarde desta terça-feira. No início da noite, enviou nota oficial em resposta:

"A Confederação Brasileira de Taekwondo tem o maior interesse na resolução do caso referente ao processo nº 0017512-36.2014.4.02.5101 e coloca-se inteiramente à disposição, tanto da Justiça Federal como do Ministério Público e demais órgãos envolvidos, esperando uma solução o mais brevemente possível e acreditando na celeridade da Justiça".

Globo Esporte