segunda-feira, 20 de março de 2017

Volta ao G-8 do Gauchão embala Inter para três "finais" por vaga nas quartas

(Foto: Vinicius Costa / Futura Press)


O placar magro, em meio a uma atuação apenas suficiente para vencer o São Paulo-RS por 1 a 0 no Beira-Rio, no último sábado, até não salta aos olhos para empolgar o torcedor colorado em 2017. Mas serve para aliviar o ambiente do elenco de Antônio Carlos Zago para a sequência de três "decisões" na primeira fase do Gauchão. Explica-se: a vitória é apenas a segunda do Colorado no estadual, mas devolve a equipe ao G-8, após uma rodada de ausência.


E também surge como combustível anímico para a equipe nesta reta final de estadual. Até porque a campanha ainda é aquém do esperado dos grandes no Campeonato Gaúcho. O Inter encerrou o fim de semana na sétima colocação na tabela, com 10 pontos somados e aproveitamento de 41,7% – pouco para o atual hexacampeão. De quebra, o Brasil de Pelotas ainda pode fazer o clube perder uma posição, caso vença o São José-RS nesta segunda-feira.

– Nosso primeiro objetivo era conseguir a vitória e entrar na zona de classificação. Na pior das hipóteses talvez a gente termine na oitava colocação. Era importante conseguir a vitória. Acho que o importante era o resultado e os três pontos pela zona de classificação – admite Zago.

O resultado deste sábado também teve peso fundamental ao Colorado pela sequência que se desenha sem o Beira-Rio nos últimos três jogos da fase classificatória. Após o 1 a 0 sobre o São Paulo-RS, o Inter encara o Ypiranga e o São José fora de casa e encerra a primeira fase contra o Cruzeiro-RS, numa partida que estava marcada para seu estádio (veja na tabela abaixo). Mas o clube recebeu gancho com perda de mando de campo em dois jogos do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-RS) e ainda prepara o recurso da decisão.

Ou seja: o Colorado terá de buscar a recuperação na tabela do estadual distante de seu reduto, até para buscar uma colocação melhor para decidir em casa os confrontos de mata-mata. No Gauchão, os quatro primeiros colocados fazem a segunda partida como mandantes. A ordem entre os atletas é ter atenção total, em especial diante de rivais que jogam "a vida" contra o Inter.

– Exatamente. A vitória era muito importante para dar confiança ao grupo. Temos só decisões pela frente. Sabemos que não podemos mais vacilar. É ter atenção total. O Gauchão é isso. Não tem jogo fácil. Ainda mais contra o Inter. Todos jogam a vida. É entrar 100% atento e procurar fazer os gols – afirma Roberson.

Além da frieza numérica da tabela, as três "decisões" servirão ainda para que Zago ajuste detalhes de sua equipe. A sequência serve para lapidar o novo posicionamento de D'Alessandro, até para superar a oscilação de rendimento da equipe, que pena no Gauchão, mas tem 100% de aproveitamento na Copa do Brasil e na Primeira Liga. O gringo passa a atuar mais recuado, na primeira linha de meio-campo, com mais liberdade para municiar o ataque, com Brenner, Carlos e Nico López.

– A postura da equipe é de procurar vencer todos os jogos. É o que precisamos agora. Vencemos o primeiro, restam três, para atingir, além da classificação, uma posição melhor. Gostaríamos de estar liderando, mas sabemos das dificuldades de reformular o grupo. Vários atletas chegaram e saíram. Temos que fazer uma análise conjunta do desempenho. Nossa média de pontuação e aproveitamento é boa. No Gauchão não estamos com a pontuação que desejávamos, mas faz parte do processo de reformulação da equipe – avalia o vice de futebol Roberto Melo.

O Inter se reapresenta para treinamentos na tarde desta segunda-feira, no CT do Parque Gigante. Atual sétimo colocado, o Colorado volta a campo pelo Gauchão na próxima quarta-feira, quando enfrenta o Ypiranga, às 19h30, no Colosso da Lagoa, pela nona rodada da competição.

Globo Esporte