terça-feira, 11 de abril de 2017

Moacir exalta Botafogo-SP no Paulista com números e "grupo comportado"

(Foto: Reprodução)


O técnico Moacir Júnior citou números e o “bom ambiente no elenco” para exaltar a participação do Botafogo-SP no Campeonato Paulista. Eliminado pelo Corinthians nas quartas de final, o Pantera terminou o estadual em sexto lugar. Foi a terceira melhor campanha do clube desde o vice-campeonato paulista em 2001 e o quinto lugar em 2014.


Além da colocação, Moacir destacou que seu time recebeu um cartão vermelho apenas no Paulista – com Wesley, diante da Ponte Preta –, e também a sequência de sete jogos sem perder – foram cinco empates e duas vitórias. Outro fator mencionado pelo comandante foi o comportamento do grupo de atletas durante toda a competição.

- Tivemos apenas um vermelho no Paulista, isso demonstra que somos um time equilibrado [emocionalmente] em campo. É um time que pega muito, busca muito. Agradeci a todos os atletas. Nós não tivemos ninguém com lesão grave, não se viu nenhum atleta envolvido em incidente na cidade, na noite. O equilíbrio é tudo no futebol, fomos competitivos, ficamos invictos na reta final e fizemos um grande Paulistão - celebrou o técnico.

Moacir também festejou a indicação de atletas como Gualberto, Fernandinho, Bileu, Marcão Silva e Marcão, que conseguiram um lugar entre os titulares numa equipe que tem mantido a base desde o Campeonato Brasileiro da Série D de 2015.

- Muita satisfação minha em aproveitar parte do elenco e trazer atletas que só dignificaram a camisa do clube. O objetivo primeiro nosso era a permanência [na Série A1]. Conseguimos, e jogamos um segundo tempo [contra o Corinthians] para passar de fase - completou.

Com o fim do Paulistão para o Botafogo, Moacir Júnior anunciou o fim de seu contrato com o clube, porém, não descartou permanecer. O clube não confirma a manutenção do técnico para a Série C, já que acontecerá a eleição presidencial no dia 18 de abril. O atual presidente, Gerson Engracia Garcia, deve formalizar sua candidatura à reeleição. Rogério Barizza, que comandou o Pantera entre 2014 e 2015, pode ser o adversário.

Globo Esporte