quinta-feira, 13 de abril de 2017

Promotoria não acha evidências de ligação de suspeito detido com ataque ao Borussia

(Foto: Bernd Thissen/dpa via AP)


A polícia ainda não conseguiu achar evidências de que um iraquiano de 26 anos detido nesta quarta-feira suspeito de ligações com o ataque ao ônibus do Borussia Dortmund tenha realmente ligações com o fato. Ainda assim, a Procuradoria Federal emitiu um pedido de um mandato de prisão porque o homem teria envolvimento com o Estado Islâmico.


- A investigação não permitiu, até o momento, estabelecer provas de que o suspeito esteve envolvido no atentado - declarou a Procuradoria Federal em um comunicado.

O homem, identificado como Abdul Beset A., irá comparecer diante de um juiz que irá decidir se aprova o mandato de prisão. Ele é suspeito de ter se associado ao Estado Islâmico em 2014 no Iraque, comandando uma unidade de 10 homens que se envolveu em sequestros, contrabando, extorsão e assassinatos. O iraquiano teria ido em 2015 para a Turquia, chegando à Alemanha em 2016.

De acordo com o jornal Bild, um outro suspeito foi liberado ainda na quarta-feira depois de uma busca em seu apartamento. As investigações seguem trabalhando com várias possibilidades, e o envolvimento de militantes políticos tanto de extrema-direita quanto de extrema-esquerda não está descartado.

- Pode se tratar de extremistas de esquerda, de extremistas de direita, de torcedores violentos ou islamitas - disse o ministro do Interior do estado da Renânia do Norte-Westfália, no oeste da Alemanha, Ralf Jäger, de acordo com a agência France-Presse.

Globo Esporte