terça-feira, 23 de maio de 2017

Após ser punida, Chape vence 'luta' contra Zulia e aguarda recurso na Taça Libertadores

(Foto: Nelson Almeida/AFP)

Por Nicholas Araujo
Chapecó, SC


A noite que definiria o grupo da Chapecoense na Libertadores teve uma mistura de frustração, alegria e festa. Nos acréscimos do segundo tempo, o Índio Condá virou o jogo contra o Zulia e garantiu, ao menos, a vaga para a Copa Sul-Americana. Isso até a Conmebol julgar o recurso pedido pelo clube brasileiro.

A Chapecoense foi punida na tarde dessa terça-feira (23) com a perda dos três pontos conquistados na semana passada contra o Lanús, após supostamente escalar, de forma irregular, o zagueiro Luiz Otávio. O atleta foi expulso no jogo contra o Nacional, do Uruguai, e até então, teria cumprido a suspensão automática na primeira final da Recopa, contra o Atlético Nacional.

Entretanto, segundo a Conmebol, o zagueiro levou uma suspensão de três jogos, que impediria Luiz Antônio de atuar contra o Lanús. De acordo com a Chapecoense, o clube não foi informado oficialmente da punição e manteve a escalação. Com a perda dos pontos, a Chapecoense não tem mais chances de avançar na Libertadores.

Nesta terça-feira, a frustração estava maior após os 30 minutos do primeiro tempo, quando Arango escorou o cruzamento da direita e abriu o placar para os adversários. O nervosismo tomou conta e o segundo tempo foi dramático até os acréscimos.

A pressão foi total, ainda mais após Bello ser expulso, aos 25. Ao menos duas bolas foram na trave. Até que, aos 45 minutos, Arthur aproveitou sobra do escanteio e empatou o jogo. Um minuto depois, na saída de bola, Rossi cruzou dentro da área, Girotto pegou a sobra e de cabeça virou a partida. A insistência foi recompensada com os três pontos na Arena Condá.

Julgamento da entidade considerou defesa escrita protocolada

O critério utilizado pela Conmebol para julgar o caso não levou em conta a participação de representantes da Chapecoense, apenas uma defesa escrita protocolada. A Chape solicitou uma audiência presencial, porém, não foi acatada. 

“Nossa defesa está baseada no fato de que a confusão de envio de e-mails da Conmebol induziu a Chapecoense ao erro. No caso da comunicação da suspensão automática, onde já houve desencontro de informações, a troca de e-mails foi toda com o advogado interno do clube. Em seguida eles alegam ter enviado e-mail para outra pessoa do clube, que não o advogado, informando da suspensão de três jogos, frise-se, teoricamente no mesmo dia em que enviaram a resposta sobre a consulta da suspensão automática. Por que não enviaram ao próprio advogado que tinha feito a defesa da causa e estava habilitado?”, explicou o advogado Mário Bittencourt, um dos responsáveis pela defesa da Chape, em entrevista ao Globo Esporte.

O clube entrou com um novo recurso para reaver os pontos, mas não há um prazo para que a Conmebol analise as documentações. Por enquanto, a Chape está classificada para a Copa Sul-Americana com o terceiro lugar no grupo 7.

Luiz Otávio estaria impossibilitado de atuar contra o Lanús  (Foto: AP Photo/Agustin Marcarian)