quinta-feira, 18 de maio de 2017

Grêmio mantém sonho por Lucas Leiva e estuda nova investida: "Acrescentaria muito"

(Foto: Reuters)


O Grêmio mantém vivo o sonho de repatriar o volante Lucas Leiva, 30 anos. E não esconde isso de ninguém. Antes mesmo da vitória por 3 a 1 sobre o Fluminense, nesta quarta-feira, nas oitavas de final da Copa do Brasil, o presidente Romildo Bolzan afirmou que o volante "acrescentaria muito" ao time para a sequência da temporada. Mas logo tratou de frear o entusiasmo da torcida com a possibilidade de o atleta, hoje o mais longevo do elenco do Liverpool, retornar ao clube que o revelou.

Até porque Lucas tem contrato com o clube inglês até a metade de 2018. De acordo com o mandatário, o Tricolor, de fato, nutre interesse no atleta, mas não chegou a abrir negociação recente para repatriá-lo.

– É um jogador que acrescentaria muito. Mas não temos nada articulado por ele. É mais por conta das declarações dele sempre valorizando o Grêmio. Os contatos que temos são mais de pessoas próximas a ele, pela questão da identificação. Ele é um jogador que tem identificação muito grande com o clube. E isso motiva o plantel, a torcida, a diretoria – afirma o presidente.

O interesse gremista por Lucas, aliás, não chega a ser novidade. Ainda no início do ano, em meio ao Gauchão, o Grêmio fez contato e até enviou uma proposta para repatriar o volante, mas a negociação não teve desfecho feliz. Após a partida, o vice de futebol Odorico Roman afirmou que o Tricolor irá analisar as condições de dar sequência ao negócio.

– O Lucas manifestou várias vezes que gostaria de voltar a jogar no Grêmio se voltasse ao Brasil. Se for possível, a gente vai trazer. É um jogador que, sem dúvida, inflamaria a torcida. Mas tem que ver as condições. No início do ano se fez uma proposta e não foi possível. Se houver condições de trazê-lo, a gente vai tentar – afirmou Odorico, descartando ter feito qualquer proposta nos últimos três meses.

Lucas é fruto das categorias de base do Grêmio e foi alçado ao time titular ainda em 2005, na campanha que devolveu o clube à elite do Brasileirão. O volante, inclusive, esteve em campo na célebre Batalha dos Aflitos e permaneceu no Grêmio até 2007, ano em que conquistou o bi do Gauchão e foi vice da Libertadores.

No Liverpool desde 2007, o volante já ultrapassou a barreira dos 300 jogos pelo clube e teve, recentemente, uma festa após ter completado 10 anos por lá. Na temporada atual, atuou em 30 partidas, com um gol anotado. É usado por Jurgen Klopp como zagueiro, por vezes.

Globo Esporte