segunda-feira, 1 de maio de 2017

Inter sofre com três goleiros lesionados e torce por recuperação surpresa para final

(Foto: Reprodução)


Amparado junto ao médico e massagista do Inter, o garoto Keiller deixa o gramado do Beira-Rio aos 43 minutos do segundo tempo e chora de dor ao caminhar vagarosamente em direção ao túnel de acesso. No mesmo momento, foi como se os mais de 40 mil torcedores colorados presentes sofressem juntos e se calassem pelo receio de viver o pior pesadelo: ficar sem goleiro para a final do Gauchão. Pois é justamente essa situação insólita que vive o time de Antônio Carlos Zago para projetar a equipe diante do Novo Hamburgo. Não há um arqueiro sequer em boas condições físicas disponível para a decisão. Assim, resta torcer pelas recuperações de Marcelo Lomba ou até de Danilo Fernandes para o próximo domingo.

Preparador de goleiros do Inter, Daniel Pavan tentará acelerar as duas recuperações, já que não há possibilidade de inscrever um quarto goleiro na competição e Keiller está fora da final – o garoto teve uma luxação no cotovelo esquerdo e nessa segunda saberá se vai precisar passar por cirurgia. A decisão será tomada, entre um ou outro, em conjunto com o departamento médico. Até porque, para ele, treinar um atleta de linha para utilizar luvas é algo pouco provável.

– Não lembro a situação de perder três goleiros em três semanas. Nesse momento, diria que todas as possibilidades são viáveis. Vamos conversar com os médicos, não estamos descartando nada. Hoje, o goleiro que está em pior situação é o Keiller – lamentou Pavan, com semblante abatido, na zona mista do Beira-Rio.

Fora de combate

Assim que foi substituído, Keiller foi levado às pressas para o hospital Mãe de Deus. O exame apontou luxação no cotovelo esquerdo, o que o tira do segundo jogo da final do Gauchão. Uma reviravolta dolorosa na na ainda breve trajetória do goleiro. E pensar que, sete dias antes, o jovem arqueiro deixava o Centenário como o herói improvável da classificação para as finais do estadual. Agora, vê a chance de conquistar um título em campo afastada pelas condições físicas. Nesta segunda-feira, saberá se terá a necessidade de passar por intervenção cirúrgica.

O lance que se tornou dramático aconteceu aos 43 minutos do segundo tempo. Poucos instantes antes, Nico López havia anotado um golaço de empate e dado esperanças ao torcedor colorado de uma virada em casa. Mas ao tentar cortar um cruzamento da esquerda, Keiller saiu do gol e trombou com Léo, do Novo Hamburgo. Caiu de péssimo jeito. Saiu do gramado com o braço apoiado e com a expressão de dor no rosto.

Sacrifício e figuração

Quando avistou o lance infeliz de Keiller, Marcelo Lomba colocou as duas mãos no rosto, como um gesto de pesar. Era como se não acreditasse que teria de entrar no jogo. Sem condições físicas, aceitou a tarefa, é claro, mas caminhou cabisbaixo até a beira do campo, ainda com a mão na coxa direita. Não precisou executar nenhuma defesa e nem mesmo cobrou tiro de meta – deixou a tarefa para Cuesta –, para não forçar o músculo.

Nesta temporada, Lomba teve história semelhante a de Keiller. Substituto de Danilo Fernandes, tornou-se rapidamente um dos destaques do time. Foi o principal jogador na heroica classificação colorada diante do Corinthians na Copa do Brasil. Mas sofreu, assim como o garoto.

Lomba apresentou um problema muscular logo aos cinco minutos do primeiro tempo contra o Caxias, no duelo de volta da semifinal. Caiu estirado no gramado e precisou ser substituído imediatamente por Keiller. Teve se interromper a sequência justamente quando vivia a melhor fase na equipe colorada e se orgulhava em se tornar um sucessor à altura de Danilo.

Sem a possibilidade de inscrever um quarto goleiro, Lomba partiu para o sacrifício. Antes da partida diante do Novo Hamburgo, fez apenas exercícios leves. Em nenhum momento, tentou alongar a perna direita. Por outro lado, o Inter alega melhora na lesão do goleiro.

– Não trabalhamos com nenhum jogador de linha, conversamos, mas não chegamos a fazer nenhum treinamento. Contamos com a melhora do Lomba. Tanto que teve uma melhora significativa para poder estar no banco e entrar no jogo. E teve que atuar, não nas melhores condições – completa Pavan.

Surpresa para a decisão?

Sem saída, o Inter torce quase por uma surpresa. Ou um milagre, diriam alguns. O prognóstico era de dois meses parados. Mas, diante das circunstâncias, é possível que o titular Danilo Fernandes retorne antes da metade desse tempo e vire a surpresa para a decisão do Gauchão. Ele mesmo já pediu para atuar, conforme revelou Pavan.

– No momento que soube da lesão do Lomba, o Danilo tinha se colocado à disposição. Queria jogar. Sabíamos que não era o ideal, mas ele veio pedir para jogar. Ele jogou com lesão na coxa, nariz quebrado. É um guerreiro. Não está descartada a volta dele – admite Pavan.

Danilo sofreu fratura na base do quinto metatarsiano do pé esquerdo em 5 de abril e precisou passar por cirurgia. A última partida do goleiro foi em 29 de março, quando o Inter acabou derrotado pelo Cruzeiro-RS por 2 a 1, em jogo válido pela última rodada da fase de grupos.

Antes do duelo contra o Novo Hamburgo, Danilo circulou pelo gramado do Beira-Rio. Estava otimista em relação às finais. Só perdeu o sorriso emoldurado pela barba na hora de falar da própria ausência.

– É ruim ficar de fora, mas a gente sabe do potencial dos nossos goleiros. O Lomba vinha num momento bom. E o Keiller tem potencial tremendo – comentou.

Ídolo da torcida, Danilo já chegou a atuar com o nariz quebrado. Foi na vitória por 1 a 0 sobre o Coritiba, pelo Brasileirão do ano passado, em outubro. Ao sair de campo na ocasião, chegou a dizer que só não jogaria “se estivesse no hospital”. Portanto, se depender apenas dele, não se pode duvidar que volte.

Após o empate em 2 a 2, o grupo do Inter se reapresenta na tarde de terça-feira. Será quando Zago iniciará a preparação para manter o sonho do heptacampeonato estadual. O jogo de volta ocorre ocorre no próximo domingo, em local ainda a ser definido – o Novo Hamburgo tem até terça-feira para liberar as arquibancadas móveis do Estádio do Vale. Quem vencer fica com o título. Em caso de novo empate, a decisão será nos pênaltis.

Globo Esporte