quinta-feira, 15 de junho de 2017

Após troca, Fifa poupa gramado antes da abertura em São Petersburgo

(Foto: Reprodução)


Orçada em cerca de R$ 2,3 bilhões (valores oficiais, enquanto a imprensa europeia fala em até R$ 4,9 bilhões), a Arena Zenit vive de polêmicas desde o início da sua construção em 2007. Após passar por dez anos de obras e ser a principal sede da Copa das Confederações, o estádio de São Petersburgo teve que trocar recentemente de gramado, já que havia o receio de o campo não ficar pronto a tempo para o jogo deste sábado entre Rússia e Nova Zelândia - início às 12h (de Brasília). O cuidado é tanto que as duas seleções não farão no local o tradicional treino de reconhecimento na véspera da estreia.

Segundo a programação divulgada pela Fifa à imprensa nesta quinta-feira, os neozelandezes irão à Arena Zenit na tarde de sexta apenas para a entrevista coletiva do técnico Anthony Hudson e do capitão Chris Wood, além de uma "caminhada e familiarização" do local. De manhã, a representante da Oceania treinará no estádio Petrovsky - antiga casa do Zenit, por sinal.

Já os donos da casa, que chegaram apenas nesta quinta a São Petersburgo após um período de treino em Moscou, escolheu o estádio Smena para sua atividade, à tarde. Um pouco antes, o treinador Stanislav Cherchesov irá à Arena Zenit para a coletiva de imprensa. Na programação divulgada pela Fifa não há informação se os jogadores também visitarão o palco da abertura.

O primeiro jogo realizado na arena foi em 24 de abril, com vitória do Zenit por 2 a 0 sobre o Ural, pelo Campeonato Russo. A previsão é que o estádio fosse usado mais vezes pelo clube até a Copa das Confederações, mas a situação do gramado fez o Comitê Organizador solicitar que o campo não fosse mais usado.

- O campo não ficou ideal para a gente praticar o futebol. E pelo que eu ouvi, eles estão replantando uma nova grama para a Copa das Confederações, não sei em que estado vai estar. Não me agradaram as condições do gramado. Você pisava e a grama levantava, a bola não ia rasteira quando tocava, a bola ia quicando. Ele era muito mole, por isso a grama soltava, era muito nova. Não deu tempo para a gramar fixar o suficiente - disse Giuliano ao GloboEsporte.com, há duas semanas.

Realmente, o gramado foi trocado durante o mês de maio, o que gerou dúvidas sobre o estado dele para o torneio da Fifa. Para ajudar na implantação, um conjunto de luzes artificiais foi instalado para simular o sol. No momento, a arena não está usando o sistema de "sliding field", tecnologia que permite que o campo saia do estádio e que só existe em outras quatro arenas no mundo: Sapporo Dome (Japão), Estádio da Universidade de Phoenix (Estados Unidos), Gelredome (Holanda) e Veltins-Arena (Alemanha).

Globo Esporte