sábado, 10 de junho de 2017

Brasil massacra dominicanas e decide o Quatro Nações contra Portugal

(Foto: Reprodução)

Por Globo Esporte


Brasil e Portugal vão decidir o título do III Torneio Quatro Nações de handebol feminino. Dominantes mais uma vez, as meninas da seleção massacraram a República Dominicana neste sábado, vencendo por 36 a 9, e venceram a segunda na competição. Antes, já haviam batido o Chile. A disputa amistosa em São Bernardo do Campo, em São Paulo, serve de preparação para o Pan-Americano da modalidade, ainda este mês, em Buenos Aires, e que vale três vagas no Mundial da Alemanha, em dezembro.

A decisão contra as portuguesas acontece neste domingo, no Ginásio Adib Moyses Dib, a partir das 9h30 (de Brasília), com transmissão ao vivo da TV Globo dentro do programa Esporte Espetacular. Na segunda-feira, Brasil e Portugal voltam a se enfrentar, desta vez sem valer taça, apenas como amistoso de preparação.

O técnico interino Sérgio Graciano tem testado todas as 21 convocadas no Quatro Nações. O Brasil entrou em quadra com as meninas mais jovens, que não deram bobeira a abriram boa vantagem rapidamente. Nos 15 minutos seguintes, as titulares foram para quadra, com Jéssica Quintino, Deonise, Duda, Babi, Ana Paula, entre outras. Assim, o Brsail ampliou ainda mais o marcador e na segunda etapa só administrou, tomando apenas nove gols em 60 minutos. A partida marcou também o centésimo jogo da central Mayara pela seleção. Ela foi campeã mundial em 2013, na Sérvia.

No outro jogo do dia, Portugal também manteve a invencibilidade ao bater o Chile por 31 a 26. Antes, as europeias já haviam vencido a própria República Dominicana. Com média de 23 anos, a seleção portuguesa começa um trabalho de renovação visando fazer frente as principais potências do continente nos próximos anos, o que hoje não acontece.

- Daqui a cinco anos queremos competir com as melhores do Mundo, mas ainda não é o momento. Para amanhã temos que ser bem melhores, não cometer tantas falhas técnicas no ataque, pois se errarmos vai ser fatal. O Brasil é uma equipe que joga muito rápido e temos que ter mais recuperação defensiva - disse o técnico Ulisses Pereira.