quarta-feira, 21 de junho de 2017

Com recorde de público, Iranduba empata com Fla e avança para as semis do BR feminino

(Foto: Mauro Neto)


Com mais de 15 mil pessoas nas arquibancadas da Arena da Amazônia, em Manaus, recorde de público do Brasileiro feminino deste ano, o Iranduba segurou o Flamengo até o fim e conseguiu o resultado que lhe garantiu em uma semifinal inédita do Brasileiro Feminino. A equipe amazonense empatou em 1 a 1 com o atual campeão e, como havia ficado no placar no jogo de ida (2 a 2), fez melhor saldo de gol, e avançou. Os gols foram marcados por Mayara, para o Hulk, e Tânia Maranhão, para as Meninas da Gávea.

Com a vaga inédita, o Iranduba terá pela frente o Santos. A equipe paulista passou pelo Audax-SP, após vitória por 3 a 0 na Arena Barueri e 0 a 0 na Vila Belmiro. O primeiro jogo do duelo será mando das Meninas da Vila, no dia 28 deste mês, e a volta na Arena da Amazônia, no dia 5 de julho, com mando do Hulk.

O duelo entre Iranduba e Flamengo é novo recorde de público do Brasileiro Feminino deste deste ano, com 15.107 pessoas presentes na Arena da Amazônia. O maior público já era de um jogo do time amazonense, contra o Corinthians, na primeira fase, quando mais de 8 mil pessoas compareceram ao mesmo estádio de Manaus.

O jogo começou movimentado, com o Iranduba mais agressivo e tentando fazer valer o fator casa para chegar ao gol e ficar mais confortável no jogo. Com velocidade, principalmente pelas pontas, o Hulk partiu pra cima, concentrando as ações na atacante Dany Helena, que logo aos três minutos, perdeu uma chance incrível dentro da área, tendo seu chute defendido pela goleira Kaká. Mas o gol só saiu mesmo aos 20 minutos, quando Tânia Maranhão saiu jogando errado e “vendeu” a defesa ao contra-ataque do Iranduba. Mari viu Mayara entrando em liberdade. A camisa 10 ficou cara a cara com Kaká e abriu o placar. Precisando de dois gols para avançar, o Fla tentou chegar, mas parou na marcação do time amazonense, às vezes com falta. E foi justamente em uma falta que o Rubro-Negro alçou uma bola na área, e Tânia Maranhão se redimiu da falha no gol do Iranduba e fez de cabeça.

A segunda etapa começou carregada de tensão. O Flamengo precisava de um gol para se classificar, enquanto o Iranduba guardava uma vantagem pra lá de desconfortável. Aos oito minutos, as duas equipes já haviam tido um gol invalidado por impedimento cada, com direito ainda a uma bola na trave de Djeni.

Mais cauteloso, o Iranduba passou a esperar por uma bola, enquanto o Flamengo partiu pra cima em busca do gol da classificação. Precisando manter o jogo equilibrado, o Iranduba tentou se adiantar e não se deixar acuar em campo.

No fim, prevaleceu a competência em manter o placar e a classificação ficou com o time amazonense.

Globo Esporte