quarta-feira, 14 de junho de 2017

Com um a menos, Atlético-PR marca no fim e empurra o Galo para a Z4

(Foto: Futura Press)


Jogo de ataque contra defesa, de gols impedidos, de jogador expulso, raça para os dois lados e o prêmio veio para o Atlético-PR, que venceu por 1 a 0 o Atlético-MG na noite desta quarta-feira, pela sétima rodada do Brasileiro. O jogo no Horto colocou os atléticos em campo precisando da vitória. Enquanto o Galo estava perto da zona de rebaixamento, o Furacão não havia vencido nenhuma. O dono da casa foi agressivo desde o começo, assustou muito mais e o gol parecia um detalhe, que não veio nos dois impedimentos que mandaram para a rede. No lado do Furacão, o drama estava montado desde os 39 minutos do primeiro tempo, quando Lucho foi expulso. O desfecho acabou imprevisível aos 44 minutos, quando um erro de Felipe Santana deu a Sidcley a chance de fazer o gol e levar a partida.


Com o resultado, o Atlético-MG mantém os seis pontos e fica na 17ª posição, na zona de rebaixamento. O Atlético-PR comemora a primeira vitória, mas não sai da lanterna com cinco pontos, o mesmo de Avaí, mas com saldo de gols pior que a equipe catarinense

Fechado e usando muita velocidade, o Atlético-PR controlou os dez primeiros minutos, e a atuação devagar do Galo irritou a torcida. No entanto, o Atlético-MG acordou a partir dos 12, quando Elias quase abriu o placar em tentativa de cruzamento direto para o gol.  Daí em diante só deu o time da casa. Foram mais de 30 minutos de blitz, com a bola passando na área do Atlético-PR o tempo todo. Chegando principalmente do lado direito. O Galo só não foi para o vestiário com a vitória parcial porque Robinho perdeu um gol incrível, cara a cara com Santos – além de ter um gol corretamente anulado. A situação ficou pior para o Furacão aos 39 minutos, quando Lucho Gonzalez, um dos melhores do time, acabou expulso.

Com um a mais em campo, o Atlético-MG partiu pra cima no segundo tempo e deixou o jogo mais aberto. Jogando quase sempre com 10 jogadores no campo de ataque, o deu espaço para o rival. Tanto que o primeiro lance de perigo foi do Furacão, com Deivid acertando a trave de Victor. O Galo respondeu com um gol de Rafael Moura, mas o assistente assinalou impedimento na jogada. O Atlético-PR se segurou jogando na marcação, enquanto o Galo forçava jogadas pelo alto e irritava a torcida no Independência. A cada minuto que passava e o gol não saia, mais os torcedores se irritavam. A irritação se transformou em transtorno aos 44 minutos. Felipe Santana falhou ao recuar uma cabeçada, e Sidcley não perdoou, fazendo 1 a 0 e selando a vitória do Furacão.

Globo Esporte