sábado, 24 de junho de 2017

Em jogo com três pênaltis, Guarani vence, vira líder da Série B e afunda ainda mais o Náutico

(Foto: Estadão Conteúdo)


Guarani e Náutico saíram do gramado do Brinco de Ouro em situações ainda mais opostas na Série B do Brasileiro. Se antes de a bola rolar, o Bugre era o vice-líder, agora o Alviverde campineiro ocupa a primeira colocação, enquanto o Timbu continua como lanterna. Em jogo com três pênaltis, Fumagalli converteu as duas cobranças que teve e garantiu a vitória por 2 a 1, na noite deste sábado, no fechamento da décima rodada. Giovanni, também da marca da cal, descontou para os visitantes.

Com o resultado, o Guarani voltou a ganhar após dois jogos, manteve a invencibilidade em casa - agora com cinco triunfos em seis partidas - e chegou aos 19 pontos, tomando a liderança do Juventude no número de vitórias: seis contra cinco.

Na parte de baixo da tabela, segue o jejum do Timbu. Foi a oitava derrota em dez jogos. Com apenas dois pontos, está a caminho do rebaixamento para a Série C. 

Após uma maratona de jogos às terças e aos finais de semana, os times ganham um respiro. O Guarani só volta a campo no próximo sábado, quando encara o ABC, fora de casa, às 19h. O Náutico, por sua vez, tenta a reabilitação contra o CRB-AL, na sexta-feira, às 21h30, na Arena Pernambuco. 

Foi o Guarani quem ditou o ritmo do primeiro tempo. Desde o início do jogo, pressionou o Náutico, que bateu cabeça no sistema defensivo - o zagueiro Feliphe Gabriel atuou improvisado como lateral - e o Bugre se aproveitou. Lenon foi derrubado por Jobson e o árbitro marcou pênalti. Fumagalli bateu e abriu o placar. Em um lance isolado, os pernambucanos ainda descontaram com Giovanni, que cobrou uma penalidade sofrida por Gilmar. Mas o empate não mudou o panorama, e o Bugre seguiu em cima. Sueliton colocou a mão na bola dentro da área. E Fumagalli converteu o terceiro pênalti da partida.

O ritmo do segundo tempo caiu bastante de rendimento. Mas, mesmo assim, foi o Guarani que teve as melhores oportunidades. Com um a menos, o Náutico reforçou a marcação, mas continuou com o mesmo problema de não conseguir puxar os contra-ataques. O Bugre agrediu, principalmente com chutes de fora da área, mas não foi suficiente para conseguir marcar mais vezes. Mas a vitória foi garantida. 

Fumagalli marcou mais duas vezes - ambas de pênalti - e chegou ao 87º gol com a camisa alviverde. Está a um de se igualar a Jorge Mendonça, terceiro maior artilheiro da história do Guarani. É o Fumagol marcando cada vez mais seu nome como um dos grandes ídolos bugrinos. 

O Náutico sofreu dois gols de pênalti e, certamente, é o time que mais cometeu penalidades na Série B. Em dez rodadas, foram sete. 

Globo Esporte