quinta-feira, 1 de junho de 2017

Em jogo duro, Murray vence de virada e avança em Roland Garros

(Foto: Reprodução)


Andy Murray avançou para a terceira rodada de Roland Garros nesta quinta-feira, e alternando bons e maus momentos mostrou que pode voltar à forma que o levou à liderança do ranking. O número 1 do mundo precisou dar muito de si para vencer o eslovaco Martin Klizan por 3 sets a 1, com 6/7 (3), 6/2, 6/2 e 7/6 (3) em 3h35 de partida. O próximo adversário será o argentino Juan Martin Del Potro, que avançou com dramática desistência do espanhol Nicolas Almagro.

Murray teve um começo de jogo vacilante e demorou a entrar no jogo. Klizan ia até o limite, arriscando e acertando bons golpes. Aproveitou para quebrar o adversário no terceiro game. Na hora de sacar para o set em 5/4, o eslovaco errou e Murray devolveu a quebra. Na sequência, o escocês passou à frente no placar e Klizan tacou a raquete no chão. O eslovaco retomou o controle e levou a partida para o tiebreak. Com uma dupla falta e uma devolução errada de Murray, Klizan levou a melhor.

A vantagem não deu tranquilidade ao número 50 do mundo, que começou a se irritar com seus erros. Murray aproveitou para controlar a partida. Chegou à quebra no quinto game, apliando a vantagem no saque seguinte do adversário e empatando a partida com 6/2. Tranquilo e confiante, o escocês começou o terceiro set quebrando Klizan. Se movimentava melhor em quadra e executava bem os seus golpes. O eslovaco já não conseguia agredir Murray com seu forehand, como no primeiro set. Mais uma quebra e o número 1 do mundo levou a parcial com novo 6/2.

Quando a partida parecia controlada, Murray cedeu uma quebra para Klizan no segundo game do quarto set. O escocês correu atrás para tentar devolver a quebra, e finalmente conseguiu no nono game. O jogo cresceu em intensidade, com jogadas de efeito que levantaram a torcida. A decisão do set foi novamente para o tiebreak, quando Murray mostrou mais categoria e cabeça para chegar à vitória.

Os números dos dois foram equilibrados em aproveitamento de pontos ganhos no primeiro serviço - Murray ligeiramente melhor -, no segundo serviço e em pontos ganhos nas redes. Klizan disparou mais winners do que Murray - 57 a 41, mas cometeu muito mais erros não forçados - 67 a 29 - o que acabou comprometendo o seu desempenho.

Globo Esporte