sábado, 10 de junho de 2017

Hamilton garante 1º lugar no grid do Canadá e iguala Senna com 65 poles na F1

(Foto: Reprodução)

Por Globo Esporte


O sábado de treino classificatório para o GP do Canadá teve - mais uma vez - Lewis Hamilton adicionando seu nome a mais um capítulo da história da Fórmula 1. Ao garantir a primeira posição no grid de largada para a corrida deste domingo, em Montreal, o tricampeão igualou o ídolo Ayrton Senna no número de poles conquistadas na carreira: 65. E o momento foi ainda mais especial para o britânico quando, de surpresa, ele ganhou da família Senna uma réplica do capacete usado pelo brasileiro, que fez os olhos de Lewis ficarem marejados.


Na pista, Hamilton foi seguido de perto pelo segundo colocado e líder do Mundial de Pilotos, Sebastian Vettel. Valtteri Bottas abre a segunda fila, com a terceira colocação. Em quarto, também na segunda fila, outro finlandês: Kimi Raikkonen da Ferrari. Max Verstappen fechou o top 5. Felipe Massa largará da sétima colocação no GP do Canadá.

Q1
Diferentemente da Mercedes, a Ferrari saiu do box assim que teve oportunidade. E a equipe foi a única no grid a usar os pneus supermacios (faixa vermelha) nesta primeira etapa. A atitude mostra o quando a equipe italiana está confiante para a corrida, já que todos os rivais usaram os ultramacios (faixa roxa), os mais rápidos da gama de compostos. Não à toa, o time alemão teminou o Q1 na frente, com Bottas em primeiro e Hamilton em segundo. Vettel avançou na terceira posição, enquanto Kimi foi apenas o nono. Felipe Massa avançou para o Q2 em quinto. Um bandeira amarela marcou o finalzinho da etapa, quando Pascal Wehrlein freou muito em cima da grama, perdeu a traseira e acabou batendo no muro.

Q2
Já no Q2, a Mercedes não perdeu tempo e saiu dos boxes assim que a luz verde acendeu, e o primeiro tempo de Hamilton já foi logo o melhor do fim de semana, com 1m12s496. A Ferrari até foi para a pista com os ultramacios desta vez, mas não foi possível superar os rivais alemães. Com o britânico na ponta, Bottas foi o segundo, com Raikkonen em terceiro e Vettel em quarto. Felipe Massa avançou ao Q3 em sétimo. Com relação aos incidentes, apenas um chamou a atenção: Carlos Sainz rodou no mesmo ponto de Wehrlein no Q1 depois de cometer o exato mesmo erro e invadir a grama na freada. Mas, para a sua sorte, o espanhol conseguiu evitar o toque no muro, só que foi eliminado por não ter obtido uma marca que o fizesse avançar ao Q3.

Q3
No Q3, nem Ferrari nem Mercedes quiseram esperar, os rivais deixaram os boxes juntos desta vez. E logo de cara Lewis Hamilton acabou com qualquer recorde estabelecido na história da pista, ao anotar 1m11s791 - vale ressaltar, no entanto, que recorde oficial somente durante a prova. Mas Sebastian Vettel não deixou barato e anotou 1m11s795, ficando a apenas 0s004 do rival britânico. Mas parecia que, a dois minutos do fim do treino, os pilotos ainda estavam famintos, porque tanto Hamilton quanto Vettel saíram novamente dos boxes. E sabe-se lá de onde, o tricampeão conseguiu tirar 0s3 da cartola e baixar ainda mais seu tempo, garantindo a pole com 1m11s459.

(Foto: Reprodução Twitter @F1)