segunda-feira, 12 de junho de 2017

Irritado com punições no Canadá, Kvyat esbraveja: "Circo estúpido do c..."

(Foto: Getty Images)

Por Globo Esporte


O final de semana de Daniil Kvyat em Montreal não foi dos melhores. Depois de marcar o 11º melhor tempo para o grid de largada, o russo teve problemas antes mesmo da volta de aquecimento, e ficou com o carro parado na reta principal. Após conseguir fazer a STR funcionar, ele alinhou em sua posição de origem, porém, de maneira ilegal segundo a direção de prova.

O russo foi punido com um drive through por não ter conseguido recuperar todas as posições antes da linha do safety car. Entretanto, além da punição inicial, o piloto do carro #26 tomou mais uma, dez segundos, pagos com uma passagem pelo box. Bastante irritado com o ocorrido, Kvyat esbravejou contra os dirigentes da FIA em entrevista para a ESPN.

- Eles têm um trabalho a fazer, o que não é tão difícil, em minha opinião, e eles não conseguem fazer o trabalho da forma correta. Eles claramente estavam dormindo no escritório, então talvez precisassem de algum café. Eles deveriam cancelar essa regra estúpida. Para quem serve essa regra? Nós somos taxistas ou pilotos de F1 aqui? Não entendo isso. É um circo, um circo estúpido do c...

Rebaixado da RBR para a STR em 2016, após a quarta etapa da temporada, Kvyat não vive grande fase desde então. Constantemente superado pelo companheiro de equipe Carlos Sainz, o russo tem apenas quatro pontos no campeonato, contra 25 do rival. Ressabido com uma possível advertência, ele não quis criticar diretamente Charles Whiting, mas disse que vai conversar com o diretor de provas.

- Vou falar com Charlie. Isso é irritante, muito irritante. Um trabalho simples, e eles não conseguem fazer isso direito. Talvez seja melhor ir para o motorhome porque agora estou com a cabeça quente e não quero dizer algo equivocado para nenhum deles, e não tenho certeza de que foi Charlie. Quero entender, antes de tudo, quem fez esse trabalho. Tudo o que eu sei é que nosso gerente da equipe ficou por dez voltas argumentando com a FIA que eles não deveriam ter aplicado uma punição adicional, e eles disseram: "Não, desculpe, nós temos de fazer isso".