quarta-feira, 7 de junho de 2017

Wolff desmente saída da Mercedes da F1 e ironiza declarações de Jordan

(Foto: Getty Images)


Nesta quarta-feira veio a público uma das famosas previsões de Eddie Jordan, folclórico chefe de equipe e que atua como showman da F1 atualmente. De acordo com o irlandês, um possível ida de Sebastian Vettel para a Mercedes não seria interessante para o piloto, já que o time alemão deve sair da categoria após 2018. Jordan afirma que a informação surgiu após uma conversa com o presidente do grupo Mercedes, Dieter Zetsche, em Mônaco. Após a fala do ex-dirigente ganhar força na mídia, coube a Toto Wolff, chefe do time germânico na F1, desmentir e, também, ironizar as declarações de Eddie.

- Mônaco é um lugar em que as pessoas festejam demais, e parece que alguém exagerou. Os boatos não têm base alguma e refletem nada mais do que a especulação errônea de um único indivíduo. A Mercedes tem sua participação garantida até ao final de 2020 por força de contrato. Além disso, já discute sua participação e as mudanças na categoria com os novos donos da F1.

Confira na íntegra o que Eddie Jordan disse, quando questionado se Vettel deveria ir para a Mercedes, e que fez Wolff se manifestar...

E a sua última previsão - ousada - desta vez sobre o futuro da Mercedes, surgiu em uma pergunta sobre uma possível ida Sebastian Vettel para o time alemão, em entrevista ao "Bild".

- Não, ele tem tudo que precisa na Ferrari. Além disso, é provável que a Mercedes deixe a F1 em 2018. Creio que eles lutarão pelos títulos deste e do próximo ano. Depois, a direção em Stuttgart deve vender o time, ficando apenas com o fornecimento de motores para a categoria. Eu faria o mesmo. Porque a Mercedes venceu tudo que podia e, a partir de agora, a tendência é ficar pior. Então talvez seja melhor voltarem para o antigo trabalho que costumavam executar, que é desenvolver e entregar motores de alta tecnologia. Se o Vettel souber disso, então não terá sentido algum sair da Ferrari - aposta.

Globo Esporte