segunda-feira, 10 de julho de 2017

Ponto de Opinião: Fim de semana de horror e guerra nos estádios brasileiros

(Foto: André Durão)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


O que pode ter apimentado mais ainda o Campeonato Brasileiro dentro de campo não foi o mesmo mostrado pelos torcedores fora dele. Enquanto o bom futebol rolava entre as quatro linhas, “pseudo-torcedores” faziam o horror nas ruas e entornos dos estádios, que chegaram a ferir milhares de pessoas e matar um torcedor.

A grande confusão ocorreu no clássico entre Vasco e Flamengo, em São Januário, que causou a prisão de vários torcedores, além de feridos e uma morte. O que era para ser uma noite agradável de futebol se tornou uma cena de guerra, intolerância, irresponsabilidade e perversidade.

Além disso, torcedores tentaram agredir jogadores do Internacional no sábado (9), após o empate com o Criciúma no Beira-Rio, que causou mais confusão, bate-boca, agressões e prisões. Houve destruição e um rastro de horror se espalhou por Porto Alegre.

O fim de semana foi “concluído” com mais confusão, agora entre torcedores do Botafogo e Atlético Mineiro no Estádio Nilton Santos nesse domingo (10), onde as duas equipes empataram por 1 a 1. A confusão foi menor, mas nem de longe pode ser ignorada.

O futebol se torna cada vez mais um cenário de guerra e insegurança. Torcedores desistem dos estádios por medo de “bagunceiros” que saem de casa com qualquer propósito, menos assistir uma partida de futebol. Não devemos admitir esse tipo de atitude, que mancha uma história de grandes clássicos e títulos, e minimiza conquistas e títulos para criar uma página horrorosa no futebol brasileiro. Não há espaço para isso e devemos combater esses “torcedores”. Precisamos de um futebol mais humano e menos egoísta.

Espero não ver mais cenas como essas:

(Foto: André Durão)

(Foto: Wesley Santos/Agência PressDigital)

 (Foto: Bernardo Pombo)