segunda-feira, 3 de julho de 2017

Ponto de Opinião: Números e bilheteria mostram como o futebol feminino precisa de incentivo no Brasil

(Foto: Mauro Neto/Sejel)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


Enquanto boa parte do jornalismo brasileiro coloca a Arena da Amazônia como um dos “elefantes brancos” da Copa do Mundo no Brasil, realizada em 2014, o estádio em Manaus virou palco para um novo brilhantismo: o futebol feminino e a surpreendente equipe do Iranduba.


Mesmo com uma renda baixa para manter os investimentos realizados em sua construção para 2014, a Arena se tornou palco para o Campeonato Brasileiro Feminino. Em 2017, o público total do estádio foi de 72.847 até o momento, sendo que 82,6% deste total foram de partidas do futebol feminino.

Em seis jogos no Brasileiro em Manaus, o Iranduba arrasou 46.482 torcedores, sendo um recorde para a modalidade no país. Apenas na semifinal contra o Santos, disputada na semana passada, cerca de 25.371 torcedores compareceram ao estádio. No amistoso da seleção brasileira feminina de futebol contra a Bolívia, realizado no mesmo local, cerca de 13.198 pessoas foram prestigiar a seleção.

Por outro lado, os números de torcedores escondem uma realidade diferente. Na semifinal contra o Santos, por exemplo, o ingresso mais caro foi de R$ 20, além do Iranduba distribuir algumas cortesias. Para se ter uma ideia, a partida do futebol masculino entre Flamengo e São Paulo, realizado na Ilha do Urubu no domingo (2), teve o ingresso mais caro vendido a R$ 380, uma grande discrepância perante a modalidade feminina.

O futebol feminino ainda paga o descrédito do torcedor brasileiro. Sem entrar no mérito de preconceito ou machismo, o torcedor ainda não “leva fé” na modalidade no país. Nem mesmo a própria CBF, que não fez um bom negócio ao vender as transmissões, que ficaram restritas as emissoras pagas, e nem pelo próprio investimento da Confederação, que promove o futebol feminino só para dizer que tem no Brasil.

O Iranduba tenta, a todo custo, ir na contramão deste pouco incentivo. O time amazonense teve um público maior do que 10 mil torcedores em quase todos os jogos do Brasileiro e foi recompensado com a chegada até a semifinal do torneio. Mesmo com a derrota para o Santos por 2 a 1, a equipe busca a virada de placar e disputar, de forma inédita, o título nacional.

Decisão

Os jogos de volta da série A1 do Campeonato Brasileiro Feminino acontecem esta semana. O Santos recebe o Iranduba no sábado (8), às 21h, na Vila Belmiro, enquanto o Corinthians (que perdeu o jogo da ida por 2 a 1 para o Rio Preto) recebem as adversárias no domingo (9), às 18h, na Arena Barueri. A final também será disputada em dois jogos.

Segundona

A segunda divisão do Brasileiro Feminino também está a todo o vapor. Portuguesa-SP x Tiradentes-PI e Pinheirense-PA x Caucaia-CE disputam a semifinal da competição. O clube do Piauí recebe a Lusa na quarta-feira (5), às 15h30, no Estádio Lindolfo Monteiro. Já o Caucaia jogo no mesmo dia, às 17h, contra o Pinheirense, no Estádio Raimundão, no estado do Ceará. Os finalistas desta competição conquistam o acesso para a série A1 de 2018.