quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Ações extracampo tentam animar torcida do Figueirense, mas time deixa a desejar

(Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)


A nova diretoria mudou a comissão técnica, promoveu o retorno do ídolo Fernandes após quase cinco anos e tenta, aos poucos, resgatar a confiança da torcida com pequenas ações. Porém, dentro de campo, o time do Figueirense não corresponde.

Por duas rodadas seguidas, desde a chegada de Milton Cruz, o Alvinegro pouco produziu, apresentou e conquistou. Contra Goiás e Náutico, respectivamente, somou apenas um ponto e segue afundado na zona de rebaixamento da Série B do Campeonato Brasileiro.

O último resultado negativo ocorreu na noite de terça-feira, em Pernambuco, quando acabou derrotado pelo Timbu por 2 a 0 e perdeu a chance de deixar o Z-4. Em campo, o time errou muito, não criou quase nada e viu o goleiro Saulo evitar um placar mais elástico.

No fim da partida, Leandro Almeida resumiu o resultado negativo com a palavra "vergonha". O zagueiro ainda reconheceu a qualidade da equipe adversária na tentativa de deixar a lanterna da tabela, mas, em entrevista à CBN Diário, disse que o Figueira precisa refletir depois da atuação fraca que apresentou.

- Foi uma vergonha, temos que refletir o que fizemos dentro de campo, é uma vergonha. Estamos defendendo essa camisa do Figueirense e não podemos fazer um jogo como fizemos aqui. Desde o início fomos pressionados, temos que respeitar o time do Náutico, mas não podemos fazer o que viemos fazer aqui, tomar gol de bobeira e não ter nenhum poder de reação - definiu o defensor.

Como abriu a 21ª rodada, o Figueirense terá um tempo maior até a próxima partida na competição nacional. Serão dez dias para Milton Cruz conhecer melhor a equipe e montar um esquema forte para receber o Guarani no estádio Orlando Scarpelli. O encontro contra os paulistas está marcado para o dia 26, às 19h.

Globo Esporte