domingo, 13 de agosto de 2017

Em duelo de reservas, Gatito pega pênalti, e Botafogo supera Grêmio em prévia da Liberta

(Foto: Estadão)


Com dois times praticamente reservas em campo, não foi ainda uma prévia do que veremos nas quartas de final da Libertadores, que as duas equipes farão em setembro. Mas o futebol visto por Botafogo e Grêmio na noite deste domingo, no Nilton Santos, bem que poderia ser de um jogo decisivo. Belas jogadas, muitas chances de gol, pênalti defendido... Mas só uma bola entrou, logo no início, em linda triangulação que terminou nos pés de Leandrinho, surpresa na escalação de Jair Ventura. Com o placar de 1 a 0, o Glorioso voltou a vencer depois de cinco rodadas no Campeonato Brasileiro e quebrou uma série invicta de nove jogos do Tricolor.

Com o resultado, o Botafogo subiu três posições e é o oitavo, com 28 pontos, enquanto o Grêmio parou nos 39 e segue em segundo lugar, mas pode ver o líder Corinthians se distanciar ainda mais. As equipes voltam a campo pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo: o Tricolor receberá o Atlético Paranaense na Arena do Grêmio às 11h (de Brasília), enquanto o Alvinegro visitará a Ponte Preta às 16h no Moisés Lucarelli. Antes, porém, os dois começam a decidir duas vagas na final da Copa do Brasil na quarta-feira, às 21h45: os cariocas enfrentam o Flamengo no Nilton Santos, enquanto os gaúchos jogarão em casa diante do Cruzeiro.

Se na maioria das vezes pênalti é sinônimo de gol no futebol, essa minoria passa pelas luvas de Gatito Fernández. Neste domingo, o goleiro paraguaio parou Marcelo Oliveira e chegou a sete pênaltis defendidos nesta temporada em 12 cobranças. Um aproveitamento de 58,3%. Não é à toa que vem demonstrando o interesse do futebol europeu e recentemente foi sondado pelo Napoli, da Itália.

Um dos técnicos há mais tempo empregado na Série A, Jair Ventura completou um ano à frente do Botafogo e recebeu uma homenagem da diretoria antes de a bola rolar. O treinador chegou a 77 jogos no clube, com 38 vitórias, 17 empates e 22 derrotas (um aproveitamento de 56,7%).

O time alternativo do Botafogo adotou a mesma tática do titular nas últimas decisões: o rolo compressor assim que a bola rola. Com seis minutos e já estava 1 a 0, gol de Leandrinho em linda triangulação com Brenner e Valencia. E só não saiu mais um na blitz porque Emerson Silva furou sem goleiro cinco minutos depois. Mas aos poucos os reservas do Grêmio se recuperaram do susto e cresceram no jogo. E por muito pouco não empataram em dois lances: no chute de Batista, que parou em Emerson Silva em cima da linha; e no polêmico pênalti de Matheus Fernandes, em que Gatito pegou a cobrança de Marcelo Oliveira já nos acréscimos. Sétima penalidade defendida pelo paraguaio só em 2017.

O Grêmio tentou dar o troco e fazer a mesma blitz na volta do intervalo, mas só conseguiu uma chance de cabeça com Batista. Era o Botafogo que esteve mais perto do segundo gol se Paulo Victor não se agigantasse diante de Valencia e Arnaldo. No tudo ou nada, Renato Gaúcho colocou mais homens de frente e deixou buracos na defesa. Espaços que o Botafogo teve para chegar com três contra dois em duas ocasiões, mas pagou por Valencia e Guilherme terem sido fominhas. Jair Ventura, por sua vez, usou as substituições para fechar a casinha e segurar o importante resultado que faz o time voltar a vencer no Brasileiro depois de cinco rodadas.

Globo Esporte