quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Jogos Sul-Americanos da Juventude reúnem promessas do Time Brasil

(Foto: Reprodução)


Tóquio 2020? Ainda não. O foco é Paris 2024. Esse provavelmente não é o pensamento da maioria dos atletas brasileiros, mas é o de 149 jovens da nova geração do esporte no país. Nessa sexta-feira começa a segunda edição dos Jogos Sul-Americanos da Juventude, evento que será realizado em Santiago, no Chile, até o dia 8 de outubro. A competição será o primeiro passo desses 75 meninos e 74 meninas entre 14 e 17 anos que compõe a delegação do Time Brasil rumo a um futuro olímpico. É o que acredita o Chefe da Missão brasileira em Santiago e Gerente de Detecção de talentos do Comitê Olímpico Brasileiro, Sebastian Pereira.

- Os Jogos Sul-Americanos da Juventude são uma parte no processo de desenvolvimento desses jovens. Eles tem o mesmo formato dos Jogos Olímpicos, tem a mesma vivência e experiência de outra modalidades. Regras, condutas da mesma forma que a gente consegue fazer dentro dos Jogos Olímpicos.

O Brasil será representado em 21 modalidades com o número máximo de atletas permitidos pela organização. Na primeira edição do evento, realizado em 2013, em Lima, no Peru, a delegação brasileira subiu ao pódio 142 vezes em 22 esportes. Porém, mais que medalhas a equipe verde e amarela trouxe na mala boas descobertas, que renderam frutos antes mesmo do esperado. Ygor Coelho, hoje o brasileiro melhor ranqueado na Federação Internacional de Badminton, 35º, e com uma Olimpíada em casa no currículo, lembra como foi sua primeira grande experiência como atleta.

- Eu lembro que os Jogos Sul-Americanos da Juventude foi a primeira competição que o COB me chamou. Eu senti uma responsabilidade imensa de poder representar o Time Brasil.

Além de Ygor, os Jogos de 2013 apresentaram outras duas apostas na Ginástica Artística que hoje já são mais que realidade no esporte. Flávia Saraiva e Rebeca Andrade, que se preparam para o Mundial de Ginástica em Montreal, tinham apenas 13 anos em Lima e nem esperavam que também estariam nos Jogos Olímpicos do Rio.

- A gente tem sucessos do passado, 2013 principalmente com a Flavia Saraiva, a Rebeca Andrade. Tivemos atletas lá em 2013 que foram para os Jogos Olímpicos da Juventude e foram campeões. A gente tem vários exemplos. Mas se vai acontecer agora ou não é difícil prever. O foco realmente é pensando em 2024. É o que garante Sebastian, que já esteve do outro lado quando foi judoca e participou de três edições dos Jogos, Atlanta 1996, Sydney 2000 e Atenas 2004.

O COB não aponta as maiores apostas dessa delegação, mas esportes que tradicionalmente lançam talentos precoces, como a própria Ginástica, recebem uma atenção maior. Foi o caso de Bianca Silva, ginasta do Fluminense, que foi convidada pela Confederação Brasileira de Ginástica para treinar com a seleção adulta antes dos Jogos Sul-Americanos da Juventude. A convivência com atletas olímpicas ao mesmo tempo que gera uma responsabilidade maior, também aumenta a ansiedade de estar numa Olimpíada, entrega Bianca.

- Estar com a Seleção é uma grande responsabilidade e disputar as Olimpíadas é o sonho de todo atleta. Não sei se conseguirei estar em Tóquio 2020. Espero que sim. Mas terei mais tempo para garantir vaga em Paris 2024. Vou batalhar para disputar as duas.

Novidade no programa olímpico e único esporte coletivo nos Jogos Sul-Americanos da Juventude, o Basquete 3x3 também aparece como uma das modalidades, que chamará a atenção para futuras promessas.

- Como virou um esporte olímpico a gente tem que observar desde a base até o adulto quem está em melhores condições de ir pra Olimpíada, representar melhor o país. Afirma Douglas Mattos, treinador das seleções sub-17 que irão a Santiago.

A segunda edição dos Jogos Sul-Americanos da Juventude terá a participação de mais de 1400 atletas de 14 países e serve também de preparação para os Jogos Olímpicos da Juventude, que serão realizados ano que vem em Buenos Aires, na Argentina. As Olimpíadas de Tóquio e Paris ainda estão distantes, mas o importante é que a futura geração do esporte brasileiro já começou a dar os primeiros passos.

Globo Esporte