sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Não é simples: exame aponta lesão de grau 2 na panturrilha de Everton

 (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo.com.br)


Dos jogadores mais regulares do Flamengo desde seu retorno ao clube, em 2014, o meia-atacante Everton tem situação complicada para a final da Copa do Brasil, marcada para 27 de setembro, às 21h45, no Mineirão. Exame apontou lesão de grau 2 na panturrilha direita do camisa 22.

O problema foi sentido aos 22 minutos do primeiro tempo do empate com a Chapecoense, por 0 a 0, na quarta-feira passada. O atleta tentou voltar a campo, mas acabou dando lugar a Vinicius Júnior aos 26. Do banco, de onde assistiu ao restante do duelo, exibia semblante de preocupação.

Everton terá de passar por tratamento intensivo para tentar jogar a decisão, contra o Cruzeiro. A cicatrização desse tipo de lesão costuma demorar duas semanas, e a finalíssima será disputada daqui a 12 dias.

Neste ano, o jogador de 28 anos já mostrou superação ao jogar à base de injeção de anti-inflamatório a final do Campeonato Carioca, contra o Fluminense. Fez gol, inclusive, no primeiro jogo. A lesão, porém, era no tornozelo direito.

O Flamengo tem um exemplo de boa recuperação de problema complexo recente. Em 2 de agosto, Guerrero deixou o time no início da derrota por 3 a 2 com o Santos com dores no músculo posterior da coxa direita. Exame apontou lesão de grau 2. Vinte e um dias depois estava em campo para, com atuação convincente, ajudar seu time a eliminar o Botafogo com vitória por 1 a 0 na semifinal da Copa do Brasil.

Globo Esporte