sábado, 9 de setembro de 2017

"Pergunta para o Rodrigo Caio", diz Cueva; Dorival Júnior nega "grupo rachado"

(Foto: Reprodução)


Cobrado por Rodrigo Caio durante entrevista coletiva no CT do São Paulo na última quinta-feira, o peruano Christian Cueva deixou claro seu descontentamento com o colega de time ao ser procurado pelos jornalistas na saída do Morumbi, neste sábado, após empate em 2 a 2 com a Ponte Preta, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. Cueva começou no banco, após duas boas atuações pelo Peru nas Eliminatórias da Copa.


– Perguntem para o Rodrigo Caio – limitou-se a dizer Cueva, enquanto continuava a andar em direção à saída.

Dez minutos depois, o zagueiro passou pelo mesmo local. E não quis papo com os jornalistas, apesar da insistência para que se posicionasse sobre as declarações do peruano.

Na última quinta-feira, durante entrevista coletiva no CT da Barra Funda, Rodrigo Caio cobrou um melhor desempenho de Cueva para ajudar o São Paulo a sair da zona do rebaixamento. O jogador declarou que o meio-campista peruano também precisa ter interesse em recuperar o bom do início do ano.

– Nosso momento não é fácil, dificulta para que o jogador desempenhe o seu melhor. Ainda mais para ele que é o nosso camisa 10, que articula todas as jogadas. Ele tem consciência de que precisa melhorar. De alguma maneira, a gente tenta ajudar, mas ele também precisa querer se ajudar. A cobrança não é só em cima do Cueva, é em cima de todos. É hora de união – afirmou Rodrigo Caio, em entrevista coletiva nesta quinta-feira.

"Não tem grupo rachado"

O técnico Dorival Júnior ficou furioso ao ser informado sobre a declaração de Cueva envolvendo Rodrigo Caio.

– Grupo rachado acho que não existe. Não tem isso não. Em nenhum momento você viu grupo rachado hoje. Você viu um grupo querendo o resultado. A partir do momento da expulsão mudou o jogo completamente. Não vi grupo rachado. Vi uma equipe inteira em campo, tendo iniciativa, com uma partida administrada. A partir daquele momento, mudou o resultado. Esse fato vai ser trabalhado internamente. Resolveremos lá dentro – disse Dorival, na coletiva pós-jogo, no Morumbi.

– Nós temos muita confiança no Cueva. Não vou abrir mão dele – completou o treinador.

– Já temos problemas demais. Vou conversar com o Rodrigo, vou conversar com o Cueva. Chegaremos a um acordo com certeza – emendou Dorival.

Globo Esporte