quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Alfinetadas: Mesmo em altitude, Brasil precisa de grupo e não individualidade

(Foto: AP)

Por Redação Blog do Esporte


O empate do Brasil contra a Bolívia em 0 a 0, em La Paz, serviu para mostrar uma deficiência no elenco: muitos buscam decidir por si só o jogo, esquecem de trabalhar em equipe e buscam a individualidade. Foi nítido que, mesmo com a dificuldade da altitude, a seleção pecou na hora de finalizar.

O mais individual foi Neymar. Enquanto o atacante buscava as jogadas sozinho, companheiros de seleção estavam bem posicionados para a finalização, mas o atleta do PSG procurava o drible, o gingado e pouco conseguia. Foi bem marcado e o jogo chegou a ficar travado.

Gabriel Jesus também não conseguia desenvolver na frente, e por inúmeras vezes chutou a bola em cima do goleiro. As jogadas aconteciam, mas a finalização não era dos melhores. O empate pode não ter sido justo (ou pode), mas as jogadas individuais não foram a solução.

Nos dois últimos jogos, a seleção mostrou certo nervosismo. Pode ser pelo final das Eliminatórias ou para impressionar o técnico Tite. A convocação final para a Copa vai ser um grande desafio e uma “corrida pelo ouro”, pois todos querem mostrar serviço, mas o futebol deixar a desejar.

Dia 10 o Brasil fecha a disputa contra o Chile. Liderança isolada, classificação para a Copa, mas uma insegurança que pode preocupar. É preciso acalmar os nervos e ser mais equipe, e não apenas estrelismo.