domingo, 22 de outubro de 2017

Com arbitragem confusa, Corinthians/Audax é campeão da Libertadores Feminina

(Foto: Reprodução/Twitter)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


Em uma final inédita, o Corinthians/Audax venceu o Colo por 5 a 4 nos pênaltis e se tornou campeão da Taça Libertadores de Futebol Feminino. Um dos destaques durante o Brasileiro e o Paulista das mulheres, o Timão, em parceria com o Audax-SP, chegou favorito a competição. Neste sábado, venceu as adversárias no Estádio Arsenio Enrico, no Paraguai.

O Jogo

A partida foi marcada pelo domínio corintiano e a dificuldade das adversárias em sair para o jogo e furar a defesa brasileira. A melhor chance foi logo aos sete minutos, quando Yasmin deu belo cruzamento para Raquel, que mandou para fora. Aos 17, a goleira Lelê desviou chute por cobertura de Karen e a bola explodiu no travessão, trazendo perigo ao gol brasileiro.

Ainda no primeiro tempo, a arbitragem se confundiu em um lance ente Kerolin e Camila Saez. A adversária chilena encostou as duas mãos na bola após se desequilibrar, mas a arbitragem entendeu que foi falta da brasileira. O lance causou uma confusão, que logo foi controlada.

A goleira Armijo seria uma pedra no sapato do Corinthians, ao defender lances primorosos, como o gol de placa de Raquel, que chutou em cima da defensora adversária.

Na segunda etapa, o jogo foi todo do Audax, que parava em boas defesas de Armijo. Aos 14, Rocio Soto tocou as mãos na bola dentro da área, mas a arbitragem mandou seguir. Aos 19, Kerolin soltou a bomba, para mais uma defesa de Armijo.

Aos 39 minutos, nova polêmica. Raquel caiu dentro da área, arbitragem sinalizou que foi simulação e a brasileira é provocada pelas adversárias. Raquel acabou se desentendendo com Camila Saez, a juíza achou que ela tocou a chilena e deu vermelho direto para a brasileira. Nova confusão na final. A partida seguiu zerada e direto para os pênaltis.

Nas cobranças, Cacau errou o chute e Villamayor deu vantagem ao Colo-Colo. Em seguida, Daiane marca e Karen também. Kerolin mandou no ângulo e Quezada fez o terceiro. Ingrid deixou o placar empatado em 3 a 3. Entrentanto, Claudia Soto, capitã do Colo-Colo, chutou fraco para defesa tranquila da goleira Lelê, do Timão.

Na sequência, Byanca Brasil fez, Carla Guerrero deixou tudo igual e Yasmin viu Armijo defender. Na cobrança de Camila Saez, Lelê fez boa defesa. Ana Vitória converteu e Rocio Soto mandou para fora, o que deu o título ao Corinthians. 

Domínio brasileiro

Realizada desde 2009, a Libertadores Feminina tem um domínio brasileiro nas conquistas. Ao todo são seis conquistas, sendo três do São José, de São José dos Campos (2011, 2013 e 2014), duas do Santos (2009 e 2010) e uma da Ferroviária (2015). Apenas o Timão e o Santos são os únicos clubes do Brasil campeões das versões masculina e feminina da Libertadores.