segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Com novo gerente, Botafogo-SP traça metas para 2018 e evita críticas

(Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC)

Por Redação Blog do Esporte


O Botafogo-SP definiu no último sábado (7) o seu novo gerente de futebol para 2018. Léo Franco, de 42 anos, assume o clube com a missão de montar o elenco para o Campeonato Paulista e a série C do Campeonato Brasileiro. Em seu currículo, Franco tem passagens por Figueirense, Fortaleza, Ipatinga e Joinville.

O novo gerente será apresentado na próxima semana no Estádio Santa Cruz. A diretoria também tem pressa para acertar o nome do novo treinador. Léo Condé e Tarcísio Pugliese são os principais nomes para o cargo.

Críticas

O fim de semana também foi de “lavar a roupa suja” pelo lado do presidente Gerson Engracia Garcia. Isto porque alguns torcedores estão espalhando pelas redes sociais, principalmente no Whatsapp, críticas à atual diretoria e dando a entender que acontecerá um protesto nesta segunda-feira, no Santão, durante a reunião do Conselho Deliberativo. Então, o presidente convidou os críticos a estarem no clube e apontar os defeitos e soluções a diretoria.

“Temos uma coletividade muito grande e todos têm direito de expor suas opiniões, protestar contra algo. Tem umas viúvas do processo eleitoral de 2015 que ainda não digeriram a derrota e ficam ruminando isso. Se tiverem propostas melhores, eu abro mão. Pode trazer dinheiro e buscar recurso”, comentou.

Segundo Gerson, boa parte das críticas é a presença de seu filho, Ary Engracia Garcia, na administração do clube.

“Nepotismo? É uma canalhice dizer que o Ary é funcionário e recebe do Botafogo. Ele é vice-presidente eleito, em 2015 e 2017. Sou o único presidente a apresentar orçamento nos últimos 20 anos. Mostro projeção de déficit, apresento as contas. Só de acordo trabalhista paguei mais de R$ 1,7 milhão. Resolvi o problema com a Axial, temos um título inédito nacional que em 99 anos o Botafogo nunca teve. Vamos fazer adesão ao ato trabalhista”, disse.

Nesta segunda-feira, a reunião do Conselho deve definir os últimos ajustes para a escolha do novo técnico e as prestações de contas.