terça-feira, 10 de outubro de 2017

Diretor do COB, general Augusto Heleno se desliga do cargo em meio à crise

 (Foto: Ministério da Defesa)


Em meio ao escândalo da prisão do seu presidente Carlos Arthur Nuzman e do ex-diretor de operações Leonardo Gryner, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) sofreu mais uma baixa nesta terça-feira. Responsável pelo Instituto Olímpico e pelo departamento de comunicação e educação corporativa da entidade, o general Augusto Heleno Ribeiro Pereira se desligou do cargo. A informação foi divulgada inicialmente pelo jornal O Estado de São Paulo.

Procurado pelo GloboEsporte.com, o COB informou que a saída do general Augusto Heleno já era prevista. O desligamento se deu uma vez que o dirigente anunciou que pretende voltar a morar em Brasília.

Ex-comandante da Missão das Nações Unidas no Haiti nos anos de 2004 e 2005, o militar era um dos dirigentes mais próximos de Nuzman. Durante sua passagem pela América Central, foi acusado de não zelar pelos direitos humanos dos haitanos, o que culminou a sua saída da missão em 2005.

Preso desde a última semana na cadeia pública José Frederico Marques, em Benfica, no Rio, Carlos Arthur Nuzman aguarda a apreciação de um pedido de habeas corpus, solicitado pela sua defesa na madrugada desta terça.

Na segunda-feira, o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal Federal do Rio, acatou um pedido do Ministério Público Federal (MPF) e decretou a prisão preventiva (sem prazo determinado) de Nuzman, o que motivou a ação da defesa. Antes disso, o presidente do COB estava sob custódia temporária de cinco dias.

Globo Esporte