domingo, 8 de outubro de 2017

Nadal domina Kyrgios e fatura 75º título na carreira com bicampeonato em Pequim

(Foto: Reprodução)


Foi uma aula na decisão. Principal favorito ao título, espanhol Rafael Nadal passeou em quadra contra o australiano Nick Kyrgios, 19º da ATP, e faturou o bicampeonato no ATP 500 de Pequim com vitória por fáceis 6/2 e 6/1, em 1h32 de jogo, na manhã deste sábado. Um desfecho impecável para quem estreou salvando dois match points. Aos 31 anos, o líder do ranking mundial faturou o 75º título de ATP na carreira ao vencer a 110ª final que disputou em 16 anos como profissional. Ele já havia sido campeão na competição em 2005, quando tinha apenas 19 anos de idade, além de ter conquistado o ouro olímpico em 2008, no mesmo estádio.

É o sexto título do ano para Nadal, que já havia conquistado Monte Carlo, Barcelona, Madri, Roland Garros e US Open. No total, são 61 vitórias e apenas nove derrotas para o ano, sendo três para o rival suíço Roger Federer, no Aberto da Austrália, em Miami, e em Indian Wells. Com a conquista, Nadal abre vantagem confortável no ranking e terá 2360 pontos a mais que Roger Federer nesta segunda-feira. É mais do que dois títulos de Masters 1000 de diferença.

Como Federer pode somar, no máximo, 4 mil pontos até o fim do ano, se vencer todos jogos a partir de Xangai, o Touro Miúra fica em ótima posição para fechar a temporada no topo do ranking mundial. Depois da China, eles devem disputar o ATP 500 da Basileia, o Masters 1000 de Paris para fechar 2017 no ATP Finals, em Londres. Aos 31 anos, o espanhol tenta se tornar o tenista mais velho a terminar o ano como número 1 do mundo.

Nadal mostrou que Kyrgios não teria vida fácil desde o game inicial. O imprevisível australiano se incomodou com uma marcação contraditória, levou uma advertência logo no primeiro game e passou toda a partida reclamando com o juiz. O canhoto de Mallorca, por sua vez, permaneceu muito focado e seguiu firme do fundo de quadra, pouco se incomodando com os poderosos golpes de Kyrgios. O número 1 do mundo dominou nas trocas de bola, aguentou as pancadas e fechou o jogo com tranquilidade para se consagrar campeão pela segunda vez na China.

- Em 2005, quando ganhei aqui não imaginava que continuaria jogando aqui em 2017. Então estou muito feliz por estar aqui, por vencer novamente. É uma vitória muito importante para mim - afirmou o espanhol.

Foi o tira-teima entre os finalistas, que estavam empatados em 2 a 2 no retrospecto. Agora, eles partem para o Masters 1000 de Xangai, que iniciou neste domingo. O cabeça de chave 1 enfrentará o americano Jared Donaldsson, 56º da ATP, que bateu o uruguaio Pablo Cuevas, parciais de 6/7(7), 6/4 e 6/4. O melhor resultado do espanhol em Xangai foi em 2009, quando atingiu a final da competição. Ele nunca venceu a principal competição chinesa.

Globo Esporte