segunda-feira, 16 de outubro de 2017

São Paulo só vai liberar Cueva ao Peru em prazo estipulado pela Fifa

(Foto: Reprodução)


O São Paulo quer diminuir ao máximo o tempo que Cueva ficará à disposição da seleção peruana para o primeiro jogo da repescagem da Copa do Mundo, contra a Nova Zelândia, dia 11 de novembro, na Nova Zelândia. O clube estuda maneiras de ter o meia pelo máximo de tempo possível.


O técnico Ricardo Gareca, do Peru, pede que a Federação Peruana de Futebol (FPF) se mobilize para ter seus jogadores pelo menos 10 dias antes do primeiro jogo, por causa da longa viagem. Para jogos disputados em outros continentes, a Fifa exige que os clubes liberem os atletas cinco dias antes do jogo. Esse é o prazo que o Tricolor pretende respeitar. É a mesma atitude que o Flamengo tomará com Trauco e Guerrero.

As datas dos jogos foram modificadas: de 6 e 14 de novembro para 11 e 15 do mesmo mês. Ou seja, se fosse atender ao pedido de Gareca, o Tricolor perderia Cueva desde o dia 1º.

O São Paulo não recebeu nenhuma solicitação oficial do Peru. A intenção do clube é dialogar com a federação local para minimizar a perda do atleta, em meio à briga contra o Z-4 do Brasileirão. O Tricolor tem 34 pontos.

A conversa com a entidade peruana poderia ser necessária, por exemplo, para decidir sobre o jogo contra o Atlético-GO, marcado para o dia 6 de novembro (segunda-feira), às 20h, em Goiânia. Poderia haver um acordo para que o atleta se apresentasse depois dessa partida.

Outra alternativa, considerada mais improvável, é antecipar a data do jogo com a CBF. A confederação, no entanto, também não recebeu solicitação são-paulina.

Depois do jogo contra o Atlético-GO, Cueva perderia as partidas contra Chapecoense (09/11), Vasco (12/11) e Grêmio (15/11).

Com Cueva, o São Paulo enfrenta o Fluminense, nesta quarta-feira, no Maracanã.