terça-feira, 3 de outubro de 2017

Tenista britânico é suspenso por um ano após doping por uso de cocaína

(Foto: FRANCOIS XAVIER MARIT / AFP)


A Federação Internacional de Tênis (ITF) anunciou a suspensão do tenista britânico Daniel Evans até 24 de abril de 2018, um período de um ano desde a última partida do número 4 da Grã-Bretanha. Atual 108º da ATP, Evans foi flagrado no exame antidoping por uso de cocaína após a vitória sobre o brasileiro Thiago Monteiro, em abril, no ATP 500 de Barcelona.

- A amostra coletada durante sua participação no ATP de Barcelona foi enviada ao laboratório da Agência Mundial Antidoping (Wada) em Montréal, onde foi encontrada cocaína, substância proibida pelo programa antidoping. Essa é a primeira violação de antidoping do senhor Evans. Todos os pontos e prêmios obtidos em Barcelona e em torneios subsequentes serão desqualificados - informou a ITF no comunicado.

O atleta, de 27 anos, alegou que um "resto" de cocaína foi acidentalmente misturada com sua medicação autorizada, argumento comprovado pelo médico do tenista, que apontou uma quantidade de inferior a 3mg no organismo do ex-top 50. Ele devolverá toda a premiação de Barcelona, Madri, Roma e Roland Garros, totalizando cerca de R$ 343 mil. A ITF categorizou o episódio como erro não significante, por isso, punindo o atleta com um ano de suspensão desde que falhou o exame.

Não é a primeira vez que um tenista conhecido foi flagrado no exame antidoping pelo uso de cocaína. Em 2007, a suíça Martina Hingis foi suspensa por dois anos em um caso parecido. Na ocasião, ela anunciou a aposentadoria. Já o francês Richard Gasquet escapou. Ele alegou que haveria ingerido a substância ao ter beijado uma mulher em uma festa em Miami. A taxa encontrada na urina de Gasquet era baixa e por isso a ITF não o puniu.

Globo Esporte