domingo, 15 de outubro de 2017

Valentim foca presente e vê resposta "excelente" do Palmeiras após tropeços

(Foto: Carlos Costa/Futura Press)


Passados dois dias de treino sob comando de Alberto Valentim, o Palmeiras derrotou o Atlético-GO por 3 a 1 neste domingo, em Goiânia. Uma vitória sobre o lanterna, mas que recupera a equipe depois de dois tropeços como mandante que levaram à saída do técnico Cuca. Essa foi a avaliação do interino, que desconversou sobre futuro.

– Foi um jogo difícil, muito quente, contra um time que deu uma recuperada nos últimos jogos, veio de empate com o Atlético-PR. Na semana, teve até discurso da parte deles de que iriam buscar essa vitória a qualquer custo. Nós, depois dessa mudança com o Cuca, precisávamos reagir rapidamente – disse.

– Quando sai um treinador, todos nós nos sentimos derrotados, de verdade. Quando uma coisa não dá certo, todo mundo tem sua parcela de culpa. Jogadores, eu, como membro da comissão técnica, têm parcela de culpa. Ao mesmo tempo, o futebol não te dá muito tempo para ficar se lamentando. Tivemos que reagir rápido, e a resposta foi excelente por parte dos jogadores.

O primeiro gol, marcado por Willian, saiu aos 20 minutos do primeiro tempo. Moisés, pouco antes do intervalo, e Dudu, no começo da segunda etapa, fizeram os outros dois. Todos os três com assistências de Keno, principal novidade na escalação de Valentim.

Questionado se espera seguir como treinador do Palmeiras em definitivo – ainda que se saiba que o clube busca outros nomes, e Mano Menezes, do Cruzeiro, seja o favorito –, o substituto interino de Cuca se esquivou. Como em outras oportunidades em que dirigiu a equipe desde 2014, focou apenas no presente.

– Sobre minha situação como técnico, temos jogo contra a Ponte Preta. Em todas as vezes que fui interino, foi dessa forma que me comportei, mas não só eu. O time só pensa na Ponte Preta, vamos pensar jogo a jogo para conquistarmos ainda objetivos importantes nesse campeonato. Não muda nada - comentou, referindo-se ao compromisso de quinta-feira, no Pacaembu.

Outras respostas da entrevista coletiva:

Análise do jogo em si

– O comecinho foi mais devagar, depois achamos o gol, tivemos o controle de boa parte do jogo. Conseguimos a vitória, que era o mais importante no momento. Tivemos muito pouco tempo para treinar, para arrumar algumas coisas, mas os jogadores estão de parabéns, porque, mesmo com pouco tempo de treino, com muita conversa, conseguimos fazer algumas coisas que vamos procurar fazer nesta reta final de campeonato.

Boa atuação de Keno

– Estava muito quente, a proposta era esperar um pouquinho para começar a jogar. O Keno foi uma peça importante, jogou muito bem. Agora é repetir contra a Ponte Preta muitas coisas boas que fizemos neste jogo e procurar também corrigir outras para dar um salto de qualidade legal para o time nesta reta final de campeonato.

Cuca 2016 x Cuca 2017

– O trabalho foi o mesmo, o Cuca trabalhou até mais do que o ano passado, em relação a se entregar. Quero aproveitar a oportunidade para agradecer o Cuca por tudo que passamos juntos. Infelizmente, a gente às vezes não consegue atingir os objetivos, como no ano passado, mas o trabalho foi o mesmo.

Pressão por vitória em Goiânia

– O Palmeiras se sente pressionado em todos os jogos. O importante é saber o tamanho do clube, a importância de fazer um campeonato com objetivos importantes, os jogadores entenderem isso, porque jogam no Palmeiras. Outra coisa é procurarem jogar tranquilos, a gente passar a maior tranquilidade para cada um desenvolver seu melhor futebol.

Globo Esporte