quarta-feira, 15 de novembro de 2017

À vontade, Rogério Ceni manda recado em apresentação no Leão: "Vim para ganhar"

(Foto: Juscelino Filho)


Rogério teve recepção de popstar. Chegou ao Fortaleza com festa e com muita empolgação da torcida leonina. E todo esse evento em torno da sua chegada pede responsabilidade com o planejamento da nova equipe tricolor para a temporada de 2018. E, ao mesmo tempo, sugere pressão por resultados. Ainda mais agora que o time cearense retornou à Série B do Campeonato Brasileiro, quebrando um jejum de oito anos.

- Estou acostumado à pressão. Se a pressão vier para mim, os jogadores terão tranquilidade para trabalhar. Especialmente as coisas negativas, espero que caiam sobre mim. É um desafio diferente, mas algo que me deixa muito feliz é que estou trabalhando com o maior carinho e profissionalismo do mundo. Desafio de retomada de carreira - pontuou Ceni, logo que questionado sobre o momento do clube.

Para 2018, ele planeja uma equipe competitiva, mas sem excesso de jogadores contratados. Rogério Ceni pensa em um elenco de, no máximo, 22 jogadores, e cita os excessos do São Paulo como um dos motivos para o ano tão irregular que o clube, que chegou a estar na zona de rebaixamento em um certo momento da competição.

- Vamos tentar contratar jogadores mais decisivos, importantes. Depois vamos montar um grupo, 22 atletas no máximo. No São Paulo, foram 34, e não deu certo, né? Conheço muita gente de muitos clubes (para ter contato). Paulo Autuori, do Atlético-PR, por exemplo. Mas acho que tem muito clube interessado em colocar atletas em um clube que é uma vitrine - disse, em relação aos atletas que podem chegar para o Fortaleza. Mas ressaltando também que não vai se desfazer de todo o elenco que atuou na Série C do Campeonato Brasileiro.

Para o ex-goleiro e agora, técnico, o mais importante é vivenciar esse novo momento na carreira. E que, para ele, seja uma retomada tão importante quanto a que vive o próprio Fortaleza.

- Eu gostaria que o Fortaleza fosse a minha realidade, meu momento. Não penso no futuro. Gastar energia com o presente já é bastante cansativo. Eu tenho certeza de que nós vamos fazer muitas melhorias estruturais. Legado não se faz só com títulos. Quero estar no centenário, comemorando e brigando por uma vaga na Série A - prometeu.

E diante da euforia da torcida e da festa, nada melhor do que quebrar o gelo de tantas perguntas sérias e de tanto planejamento com bom humor. Aliás, Ceni foi bem humorado do começo ao fim de sua primeira estadia na Arena Castelão. Seja na coletiva, elogiando o tom vocal de alguns radialistas, seja brincando com a temperatura da Capital cearense, de forma bem positiva.

- Prefiro trabalhar aqui com calor, do que na Ucrânia com -30° - afirmou, depois de ser perguntado sobre motivos para treinar o Tricolor do Pici.

Nos próximos dias, Rogério Ceni terá reuniões de planejamento com a diretoria do Fortaleza. Nelas, serão decididas as dispensas do atual elenco e também as contratações que virão ainda nesta ano.

- A minha vida foi sempre assim. Sempre fui muito dedicado. E vou cobrar isso também dos meus atletas.

Globo Esporte