domingo, 5 de novembro de 2017

Diretoria do Comercial encara desafio para manutenção do Estádio Palma Travassos

(Foto: Reprodução)

Por Redação Blog do Esporte


Um dos alertas do técnico Pinho para a diretoria do Comercial-SP era o estado do gramado do Estádio Palma Travassos. De acordo com o presidente Ademir Chiari, a Joia precisa de uma manutenção para 2018, mas lamenta que as despesas e a situação financeira do Leão travem essa iniciativa.

“Se o estádio fosse da prefeitura, por exemplo, seria melhor para nós. O torcedor vai me criticar, ‘ah, o clube tem um patrimônio desse e não quer’. Mas olhe outros clubes, como Ferroviária e Ituano, cujos estádios são da prefeitura. Eles não têm despesas. A nossa despesa aqui é muito grande e a nossa arrecadação é pouca”, falou Chiari para o site Globo Esporte.

Para o ano que vem, o Comercial disputa a quarta divisão do Campeonato Paulista e tenta sair da crise dos últimos anos. O Conselho Deliberativo já trabalha melhorar o estádio, que tem um gasto mensal entre R$ 30 mil e R$ 40 mil.

“Temos vários projetos para pôr em prática. Temos patrocínios no estádio que temos que verificar, cadeiras cativas, sócio-torcedor, que vamos reformular. Temos vários itens que temos que ter receita para ajudar o Ademir. Hoje a receita é menor que a despesa. Precisamos inverter isso. Para poder sobrar dinheiro. Para pôr o estádio em dia para ter futebol no próximo ano, gastaremos em média R$ 40 mil”, confirmou o presidente do Conselho, Fábio Hersi.

Com o futebol profissional parado desde abril, o Comercial hoje gera receita com o aluguel dos boxes anexos ao estádio, que são ocupados pelo comércio, além do sócio-torcedor e a colaboração do Conselho. A equipe estreia em 2018 na Copa São Paulo, em grupo a ser definido, e depois volta as atenções para o Campeonato Paulista.