terça-feira, 28 de novembro de 2017

Procuradoria do STJD formula pedido para interdição do Majestoso após invasão

 (Foto: DENNY CESARE/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO)


A Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) vai protocolar até o fim da tarde desta terça-feira junto à presidência do órgão um pedido de interdição - em caráter liminar - do Estádio Moisés Lucarelli após o caos provocado pela torcida da Ponte Preta no último domingo, quando a Macaca perdeu de virada para o Vitória por 3 a 2 e foi rebaixada à Série B do Brasileiro.

O documento também vai constar a denúncia para levar o clube campineiro a julgamento diante de uma comissão disciplinar, sob risco de perder mandos de campo. Caberá ao presidente Ronaldo Piacente analisar a medida e tomar uma decisão para dar sequência ao processo.

- O caso é grave, com invasão, arremesso de objetos, violência. Mas que vai analisar e dar a dosemetria de perda de mando será a comissão no julgamento. Até o fim do dia (terça), vamos propor a medida e vai depender do presidente deferir ou não a liminar de interdição para depois a comissão marcar o julgamento - explicou o procurador-geral do STJD, Felipe Bevilacqua.

A interdição é praticamente certa e valerá também para os demais campeonatos, incluindo o Paulistão, que começa em janeiro. Já a punição com perda de mando tem de ser cumprida em um torneio organizado pela CBF no mesmo formato.

Ou seja: a Macaca deve disputar longe de Campinas boa parte das partidas como mandante na próxima Série B do Brasileiro, quando voltará a fazer o dérbi campineiro contra o rival Guarani.

A tendência é que a Ponte seja citada no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que prevê punição de até 10 mandos de campo e multa que chega a R$ 100 mil por não provir a proteção necessária em um evento esportivo. Existe também a possibilidade de cumprir a pena com portões fechados.

Também em caráter liminar, a Procuradoria solicitou que a Ponte não tenha direito à cota de ingresso para sua torcida no último jogo do Brasileirão, neste domingo, contra o Vasco, em São Januário, a partir das 17h.

Por ser reincidente, a Ponte reconhece que fatalmente sofrerá uma punição grave e que fica com a fragilizada diante dos fatos. O clube ainda tenta identificar alguns invasores para registrar Boletim de Ocorrência na tentativa de aliviar a penalidade.

Logo após o terceiro gol do Vitória, aos 36 minutos do segundo tempo, torcedores da Macaca quebraram grandes e entraram no gramado com pedras na mão atrás dos jogadores, que desceram correndo para os vestiários.

Quatro pessoas foram detidas ainda no campo do Majestoso e três policiais ficaram feridos, após agressões com pedras e ferimentos na grade. Tudo foi citado na súmula da partida. Com era de se esperar, as cenas lamentáveis protagonizadas por parte da torcida vão causar prejuízos técnicos e financeiros para o clube.

Globo Esporte