domingo, 19 de novembro de 2017

Santos bate reservas do Grêmio e fica perto da vaga na Libertadores

(Foto: Estadão)


Depois de três derrotas seguidas, o Santos venceu o Grêmio na noite deste domingo, na Vila Belmiro, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, com um gol do colombiano Copete. Com o resultado, o Peixe já está garantido no qualificatório prévio da Libertadores, mas precisa de mais um ponto para entrar direto na fase de grupos.

O Grêmio jogou com o time reserva, já que está totalmente focado na decisão da Libertadores da América. O primeiro jogo contra o Lanús será na quarta-feira, em Porto Alegre.

Grêmio (em segundo, com 61) e Santos (quarto, com 59) estão agora separados por dois pontos. O Palmeiras é o terceiro com 60 e enfrenta o Avaí nesta segunda-feira, em Florianópolis. A disputa na tabela vale dinheiro. O segundo colocado levará R$ 11.373.030,00 em premiação da CBF. O terceiro ficará com R$ 7.759.170,00. E o quarto, com R$ 5.633.370,00.

Só 4.206 pessoas foram à Vila Belmiro, sob chuva fina, para assistir ao jogo. Foi o pior público registrado pelo Santos no Campeonato Brasileiro. O jogo com menos torcida do Peixe na temporada foi no Paulistão: 3.195 pessoas, contra o Novorizontino.

O Santos não teve Lucas Lima, suspenso e em má fáse técnica, cobrado pela torcida e com acordo apalavrado com o Palmeiras para 2018. Ele foi substituído por Vecchio, que ganhou sua primeira chance com Elano no comando do time e não atuava desde 19 de outubro. O argentino acabou sendo responsável pela assistência para Copete, outro que andava esquecido, sem chances com Elano (só havia jogado oito minutos na derrota para o Vasco, sob o comando do treinador).

Vanderlei fez uma defesaça à queima-roupa e viu sua trave ser balançada por um chutaço de Dionathã quando o placar marcava 0 a 0 e o jogo estava muito mais para o Grêmio do que para o Santos. Foi aí que, num contra-ataque, Vecchio deu bela assistência para Copete marcar o único gol do jogo. Depois disso, o Santos melhorou e teve chances para marcar. Mas passou sufoco do time reserva do Grêmio até o fim, mantendo a sina de não conseguir vencer um jogo com tranquilidade.

O time gaúcho começou melhor, teve chances claríssimas para abrir o placar, mas vacilou, tomou um gol no contra-ataque e não teve competência para empatar, mesmo com mais posse de bola (52% a 48%) e quase tantas finalizações quanto o time da casa (10, contra 11). Ao menos foi uma atuação digna de um time reserva, enquanto os titulares seguem focados no grande objetivo gremista no ano, a conquista da Libertadores.

Globo Esporte