quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Alfinetadas: Em momento de Messi e CR7, outros atletas precisam de algo a mais para o ‘melhor do mundo’

(Foto: Reprodução)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


Mais uma vez, Cristiano Ronaldo levou a Bola de Ouro nesta quinta-feira (7), em premiação na Europa. Se igualou a Messi que tenho cinco prêmios de melhor jogador do mundo. No quesito de conquistas individuais, os dois estão empatados em todas as premiações possíveis e imagináveis.

Isto dificulta a chegada de novos talentos para tentar “derrubar” a hegemonia argentina e portuguesa. São jogadores excepcionais, que vivem um momento brilhante há anos e deixarão um legado muito rico e espetacular para o esporte. Mas nem todos acreditam nisso.

Um exemplo foi a crítica de alguns torcedores sobre Neymar, por exemplo. Terceiro colocado na premiação, teve que cutucasse o craque (e até mesmo a mídia) que sonha ver um dia o brasileiro conquistar o mesmo feito que Kaká e Ronaldo conseguiram na geração passada.

Por mais que tenha destaque na seleção brasileira e esteja criando seu nome no PSG, Neymar tem uma batalha importante, além de tentar superar Messi e CR7: os torcedores ainda não acreditam no potencial do atacante, que está muito presente nas redes sociais e sempre é destaque nos grandes noticiários. Não é à toa que, antes de Tite assumir a seleção, se dizia muito sobre a “Neymardependência”, teoria criada pela imprensa. Hoje, este quadro já teve uma mudança bem significativa.

Agora, o foco é na continuação da temporada. Em 2018 teremos a Copa da Rússia, onde Neymar – ou qualquer outro jogador – pode se destacar e ser o nome do próximo ano. É necessária atitude e até mesmo ousadia para buscar a glória. E teremos muitos jogadores em busca deste feito.