quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Alfinetadas: Quando os clubes utilizam os estaduais para alavancar suas finanças

 (Foto: Rogério Moroti/Ag. Botafogo)

Por Nicholas Araujo
Ribeirão Preto, SP


A confusão no último domingo (21) entre os torcedores do Botafogo-SP e Palmeiras em Ribeirão Preto (SP), que foi desde problemas com valores dos ingressos até falta de água, mostra o quanto o interior “valoriza” a chegada de equipes como o Verdão paulista.

Uma parte dessas reclamações ficou por conta da bilheteria do Estádio Santa Cruz, que colocou os valores dos ingressos entre R$ 80 e R$ 100 para a partida do Campeonato Paulista.

É possível analisar este quatro se compararmos com a partida contra o Novorizontino, realizada nessa quarta-feira (24) onde o Pantera saiu com a vitória por 3 a 1, o ingresso mais caro custava R$ 60.

Meu apontamento é que, na maioria dos casos, o aumento dos preços não acompanha a paixão do torcedor, e sim a chance de lucrar com a vinda de um clube de tradição para a cidade. E não só no interior de São Paulo. Enquanto houver muita burocracia e os clubes não investirem de maneira correta suas finanças, estes casos irão se repetir.

Em particular, a partida contra o Palmeiras trouxe dor de cabeça ao Botafogo, que precisou se explicar em relação aos ingressos, falta de água aos torcedores e enormes filas que se formaram para entrar no Santão.

É necessário estar atento a imprevistos e o torcedor fazer sua parte como cidadão. O futebol é um espetáculo e ele precisa continuar.