sábado, 20 de janeiro de 2018

Com casa cheia e festa para Varejão, Flamengo arrasa o Botafogo pelo NBB

(Foto: Reprodução)


Líder do Novo Basquete Brasil, o Flamengo enfrentava o Botafogo no clássico carioca para defender a sua liderança. Mas não apenas para isso. O dia era de festa. Em uma Arena Carioca 1 lotada, o Rubro-Negro apresentou Anderson Varejão para os seus torcedores. Teve fogo, declaração de amor do capixaba e parece que a presença do pivô contagiou o já embalado grupo. Com atuação coletiva irretocável e fulminante nas bolas de três pontos, o Flamengo não tomou conhecimento do rival e definiu a vitória praticamente no primeiro quarto, quando abriu incríveis 61 a 25, para depois fechar com 107 a 54 para alegria das arquibancadas e de um sorridente Varejão, que deve fazer a sua estreia nas próximas semanas.

- Fiquei emocionado com a torcida. Com eles cantando o hino. Já tinha visto alguns jogos do Flamengo, mas agora é diferente. Não vejo a hora de estrear, estou ansioso para caramba - disse Anderson Varejão após a partida.

O clássico foi jogado diante apenas da torcida do Flamengo, mandante da partida. Com o triunfo, o Rubro-Negro manteve a liderança, agora com 12 vitórias e duas derrotas. Já o Botafogo perdeu mais uma e tem 12 derrotas e apenas dois triunfos, em 13º e fora da zona de classificação para os playoffs. Na próxima rodada, o Flamengo pega o Vasco, em mais um clássico do Rio de Janeiro, no dia 27, um sábado, às 14h, na Arena Carioca 1, mas desta vez apenas com a torcida do Vasco, que manda o confronto. Já o Botafogo encara o Mogi, no dia 22, fora de casa, às 20h, no Ginásio Professor Hugo Ramos.

Com 25 pontos, Marquinhos foi o cestinha do jogo, com quatro bolas de três. O ala do Flamengo ainda pegou dois rebotes e deu cinco assistências. Ronald Ramón terminou com 21 pontos e cinco bolas de três, com 71% de aproveitamento. Cubillán anotou 15 pontos, também com cinco bolas de três, e 12 assistências, um duplo-duplo. JP Batista fez 15 pontos, com 12 rebotes. No total, o Rubro-Negro meteu 17 bolas de três pontos. Já no Botafogo, Gabriel foi o cestinha com 12 pontos.


- Jogamos com muita intensidade na defesa e isso nos ajudou no ataque também. Quando jogamos bem defensivamente, no ataque todos saem bem. E o aproveitamento no ataque foi incrível. Foi um dia muito bom - disse Cubillán.

Início do Flamengo foi avassalador

O Flamengo teve começo avassalador. Empurrado pela torcida e empolgado com a atmosfera criada pela apresentação de Anderson Varejão, a equipe calibrou a mão e tudo caía. Em arremesso para dois pontos de JP Batista, o Rubro-Negro colocou 11 a 5 em três minutos. Criticado pelas arquibancadas em duelos anteriores, Cubillán fez talvez seu melhor quarto desde que chegou. Metendo três bolas de três pontos, ajudou o Flamengo a colocar 23 a 8 com ainda três minutos por jogar. Atordoado, o Botafogo, desfalcado de Jamaal, Arnaldinho e Rafinha, era presa fácil. Guga e Coimbra se desdobravam, mas era insuficiente e o período terminou em 27 a 10 para o Flamengo.

O ritmo não caiu no quarto seguindo. Mesmo com uma segunda rotação, com MJ Rhett e Arthur Pecos, o Flamengo manteve o ímpeto ofensivo. Em mais um quarto de domínio, chegou a incríveis 12 bolas de três pontos em 18 tentadas, 66% de aproveitamento. Marquinhos meteu duas seguidas, Cubillán outra, Pecos também. Ronald Ramón meteu três. De onde vinha, zona morta, área central, a bola caía. No Botafogo, Douglas tentava jogar no garrafão, mas o toco de Rhett chegou bonito. Na segunda parcial, o Rubro-Negro praticamente assegurava a vitória com 61 a 25 no marcador.

Após a festa, Varejão sentou-se em uma área reservada e dali assistiu a todo o jogo ao lado da namorada Stacy, que é americana, e de Marcelinho Machado, ídolo do Flamengo e poupado da partida diante do Botafogo para se recuperar de uma hérnia. A todo momento chamado por um torcedor, respondia positivamente. Em um momento, chegou a rodar a camisa no ar. Em quadra, com o jogo controlado, o Rubro-Negro diminuiu seu ímpeto ofensivo. Marcava bem, mas demorava mais para definir no ataque. Quando o fazia, contudo, levantava a galera, como na ponte-aérea de Ronald Ramón para Rhett cravar de costas: 81 a 36. No fim, Ronald Ramóm meteu mais uma de três e o quarto terminou em 86 a 34.

O último período começou com mais uma ponte-aérea entre Rhett e Ronadl Ramón, o que pode se repetir com Varejão em quadra na posição cinco. Mais uma vez com o banco em ação, José Neto usou João, Pilar e Arthur Pecos. Com o jogo decidido, a torcida passou a fazer ainda mais festa na arquibancada. A vitória com a apresentação de Varejão fez o time levar quase três mil pessoas na Arena Carioca 1. O público presente foi de 2.783 pessoas, quase 50% acima da média da temporada no ginásio. Faltando três minutos para o fim do confronto, Cubillán meteu outra bola de três e colocou o placar em 99 a 48. A torcida gritava "cem, cem, cem". E JP Batista, no lance livre, anotou o centésimo. Foi a primeira vez que o Rubro-Negro chegou a pontuação neste NBB. Ainda teve tempo para mais sete pontos e fim de festa, ou melhor, começo dela: 107 a 54.

Globo Esporte