quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Santos vira no fim, se reabilita e impõe segunda derrota seguida à Ponte Preta

(Foto: Reprodução)


O banco de reservas teve papel fundamental para a reabilitação do Santos no Campeonato Paulista. Eduardo Sasha e Rodrygo entraram no segundo tempo para garantir a vitória de virada sobre a Ponte Preta, por 2 a 1, em Campinas, pelo complemento da 3ª rodada. Léo Artur abriu o placar para a Macaca, que, em duas partidas diante da torcida, soma duas derrotas em 2018.

Após perder na Vila Belmiro para o Bragantino, o Santos volta a vencer e sobe para seis pontos, cada vez mais líder do Grupo D do estadual (RB Brasil e Botafogo-SP vêm logo a seguir). A Ponte Preta perde o embalo da vitória sobre o Corinthians e acaba ultrapassada pelo São Paulo na chave B. São três pontos para a Macaca e quatro do Tricolor.

Ambos voltam a campo já no domingo, pela quarta rodada do Paulistão. A Ponte joga primeiro, às 17h, contra o São Bento, na cidade de Sorocaba. Será uma tentativa de reabilitação longe de casa. O Santos, por sua vez, recebe o Ituano às 19h30, no Pacaembu, em São Paulo. O time de Jair Ventura tentará vencer pela primeira vez como mandante.

A fábrica de talentos do Peixe não para de revelar. Aos 17 anos, Rodrygo já foi às redes apenas em seu quarto jogo como profissional. O gol decisivo saiu nos acréscimos ao receber na área e mostrar frieza para concluir. 

-  Estou sonhando acordado. A ficha ainda não caiu. Vai cair quando chegar em casa, ver o vídeo. 

Como determinado pelo Ministério Público e também pela Federação Paulista de Futebol (FPF), a partida desta noite foi disputada apenas com torcedores da Ponte Preta no Moisés Lucarelli. O público nesta noite foi de 2.032 pessoas, com renda de R$ 58.100.     

A etapa inicial pode ser dividida em duas partes: antes e depois do gol de Léo Artur. Oito minutos de um ritmo intenso foram suficientes para a Ponte Preta abrir vantagem após jogada individual de Felippe Cardoso e oportunismo do camisa 10. Já o tempo restante foi insuficiente para o Peixe tirar o prejuízo. Mesmo superior em campo, pouco criou. O único lance de perigo foi em cabeçada de Luiz Felipe dentro da pequena área. Na reta final, os nervos se afloraram, e as divididas chamaram mais atenção que a bola rolando. Foram seis amarelos: quatro para a Ponte e dois para o Santos.

O Santos começou a dar sinais de reação quando, em poucos minutos, forçou duas boas defesas de Ivan, em chutes de Vecchio e Copete. Mas foi só a partir da entrada de Sasha que a postura se materializou em gol. De cabeça, o atacante fez o primeiro com a camisa do Peixe aos 28 minutos. O empate despertou a Ponte, que passou a atacar mais, só que também deixou o confronto aberto. Rodrygo, aos 46, fechou a conta em jogada individual pelo lado esquerdo da grande área. O chute no canto foi indefensável para Ivan.

Globo Esporte