domingo, 18 de fevereiro de 2018

Alemães lideram bobsled 2-man mesmo virando trenó, e Brasil fecha 1º dia em 27º

(Foto: REUTERS/Arnd Wiegmann)


Foram momentos de muita tensão. Em uma fração de segundos, dois dos favoritos ao ouro do bobsled 2-man estavam com o trenó virado, chocando-se contra a pista de gelo. Felizmente foi só um susto, e alemães Nico Walther e Christian Poser fecharam o primeiro dia de competições no Olympic Sliding Centre na liderança. O acidente ocorreu assim que a dupla cruzou a linha de chegada com 49s27, e não interferiu no resultado. No acumulado das duas descidas, eles somam 1m38s39, melhor marca entre as 30 equipes que entraram na pista neste domingo.

O Brasil, estreante no 2-man, não teve incidentes ao longo do percurso, mas também não impressionou. A dupla formada por Edson Bindilatti e Edson Martins, responsável pela inédita classificação olímpica na modalidade, terminou em 27º em ambas as descidas, mas com uma piora de tempo na segunda tomada.

- A gente começou com um bom tempo, não foi um tempo ruim. Mas poderia ter melhorado algumas coisas. Na segunda descida foi bem melhor. Tirando a curva 2, que teve um probleminha pequeno, a linha foi bem melhor. Foi uma boa preparação para o nosso 4-man, que é mais forte. A gente tem um trenó bem competitivo. Mas a gente quer ganhar mais posições no 2-man para chegar com mais moral para o 4-man e fazer um grande resultado nos Jogos. Umas três ou quatro posições dá para pegar (no 2-man) - disse Bindilatti.

Nesta segunda-feira, às 8h10 no horário de Brasília, os trenós do 2-man voltam à pista para as duas últimas descidas e a definição dos medalhistas. Todos os 30 concorrentes fazem a terceira descida, mas apenas os 20 melhores colocados voltam à pista para a quarta e última descida, na qual o pódio será definido. Vence a dupla com o menor tempo total.

Dupla brasileira faz tempo de 50.14 na primeira bateria do bobsled

O trenó do Brasil foi o primeiro a entrar na pista neste domingo. Na primeira descida, os brasileiros marcaram 50s14 e terminaram na 27ª colocação. Apenas Croácia e um dos trenós da China e dos Atletas Olímpicos da Rússia ficaram atrás. Quem liderou foi a Letônia, com Oskars Melbardis e Janis Strenga (49s08). Os alemães tricampeões mundiais Thorsten Margis e Francesco Friedrich finalizaram só em quinto.

Na segunda e última descida do dia, Nico Walther e Christian Poser deram um susto. Os dois voavam baixo, mas chamaram mais atenção ao virarem o trenó na chegada. A cabeça de Walther, o piloto, ficou em forte atrito com a parede de gelo da pista. Felizmente tanto ele quanto o companheiro saíram andando, ilesos, quando o trenó finalmente parou. Para a sorte da dupla, a perda de controle ocorreu logo depois do fim da cronometragem. Os 49s27 cravados por eles foram suficientes para que assumissem a liderança no somatório.

A segunda descida foi mais lenta para todos os concorrentes. O Brasil não fugiu à regra, marcando 50s22. No total, o país tem 1m40s36. Para seguir na competição, Bindilatti e Martins vão precisar subir sete posições para assim entrar na zona classificatória para a quarta e última descida.

Brasil faz 50.22 na segunda descida pelo bobsled

Para fechar a Olimpíada, os trenós do 4-man entram em ação nos dias 24 e 25 de fevereiro. O Brasil faz sua quarta participação olímpica e mira o top 15 para fechar a melhor campanha da história. Até hoje, foi assim: 27º lugar em Salt Lake City 2002, 25º lugar em Turim 2006 e 28º lugar em Sochi 2014.

Globo Esporte