domingo, 25 de março de 2018

Abel exalta amizade e sonho em título do Flu: "Superação incrível"

 (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)


O título da Taça Rio conquistado pelo Fluminense neste domingo teve muito a ver com a postura dos jogadores. Esta foi a linha adotada pelo técnico Abel Braga após a vitória por 3 a 0 sobre o Botafogo. Ele elogiou a amizade e a confiança presentes no elenco.

- A grande coisa desse time é que a gente coloca na cabeça um sonho. Não é assim ir para o campo. Se tiver medo, cara, é meio caminho para trás. Pensamos sempre positivo. Quantos gols poderíamos ter feito no primeiro tempo? Está legal por isso. Essa amizade que existe entre todos nós acontece em campo, uma superação incrível - afirmou Abel.

O treinador lembrou o caso do volante Richard. Com cartão amarelo, ele correu o risco de ser expulso, mas Abel preferiu mantê-lo até o fim.

- O banco inteiro me dando bronca que não tirei o Richard com amarelo. Não vou tirar, senão vou desmontar o time. Graças a Deus não levou o vermelho.

O Fluminense volta a campo na próxima quinta-feira, às 21h (de Brasília). O Tricolor vai enfrentar o Vasco na semifinal do Campeonato Carioca.

Confira outros tópicos da coletiva de Abel:

"Vitória da alma"

Vitória da alma. Estamos competindo. Não nos achamos superiores a ninguém. Respeitamos todos. Mas para ganhar da gente tem que correr, pelo menos, igual. Temos nos superado. A alma está sempre em primeiro lugar

Vantagem de empate contra o Vasco

Não vou falar em vantagem com eles. Eles sabem que o jogo começa 0 a 0. Se empatar, eles passam. Do outro lado estará um time muito bom, com grande treinador. Empatamos com eles outro dia. Se entramos pensando no empate, teremos problemas

Surpresa pelo título

É surpreendente. Essa equipe não perdeu na Taça Rio. Time titular não perdeu no Carioca. Equipe depende de encaixe. Com coletivo forte, se tivermos dois ou três em um momento bom, nos superamos. Mas se tivermos quatro ou cinco abaixo, não

Elogio a Julio Cesar

Virtude dele, trabalho do Marquinhos e do André. Ano passado já vinha muito bem. De repente, a saída do Cavalieri tenha dado uma confiança suplementar. Está naquele momento em que quando chutam e você acha que não há mais chance, ele defende

Pedro

Joga na função mais difícil que tem hoje no futebol. O homem mais adiantado, que na hora que tem que zerar, tirar lá de trás, tem que pegar bola lá na frente, toma porrada de atacante. É difícil dar o salto. Mas é muito acima da média para a posição

Reconstrução do time

Difícil prever as coisas. Ano passado time chegou a empolgar com futebol muito lindo, rápido, vistoso. Mas não era tão competitivo. Quando você vê as perdas... Foram onze jogadores! Temos que confiar muito naquilo que fazemos e o jogador confiar no que falamos. Nosso time titular está adquirindo confiança. No papel, de repente, não ganha dos outros. Mas dentro do campo está mostrando capacidade de reagir, enfrentar a cada palmo do campo.

Pablo Dyego, Robinho e Richard

Até jogo passado, ninguém conhecia o Pablo. Ele entrou, escutei cochichos, vaias. Pediam Robinho... Mas eu estou no dia a dia. E hoje ele novamente entrou bem. E aí cai nas graças. Futebol jamais vai ser ciência exata. Por exemplo, Robinho foi contratado para substituir o Richarlison. Bom jogador, vem trabalhando. Mas ele só viria se o Richard viesse de contrapeso. Hoje o Richard é titular da equipe.

Globo Esporte