segunda-feira, 5 de março de 2018

Arsenal perde mais uma no Inglês, e torcedores pedem saída de Wenger

(Foto:  Reuters)


A crise do Arsenal parece não ter fim. Depois perder duas vezes para o Manchester City em cinco dias, a equipe sofreu neste domingo a quarta derrota consecutiva. Fora de casa, o time de Londres perdeu para o Brighton por 2 a 1, pela 29ª rodada do Campeonato Inglês.

O resultado gerou revolta em muitos torcedores que foram acompanhar o time no campo do adversário. E que demonstraram a insatisfação com o atual momento do time mostrando cartazes e faixas em que exigiam a demissão imediata do treinador Arsène Wenger, que ocupa o cargo há 22 anos.

Com a derrota, o Arsenal segue distante da faixa de classificação para a Liga dos Campeões, em sexto lugar, com 45 pontos. Treze a menos que o quarto colocado (o Tottenham, que tem 58). O Brighton ganhou uma posição no Inglês, subindo para o 11º lugar, com 34 pontos.

Na luta para ficar mais distante da zona do rebaixamento, o Brighton precisou de apenas sete minutos para abrir o placar. Após cobrança de escanteio, Peter Cech rebateu mal, e o zagueiro Dunk completou de primeira para a rede. Aos 25, o time da casa não perdoou um erro do visitante. O francês Koscielny errou a saída de bola, Gross cruzou da direita para Murray, que cabeceou para baixo, marcando 2 a 0. O quinto gol do atacante em cinco jogos em 2018.

O Brighton seguiu no ataque e perdeu chances de ampliar. O melhor delas com Izquierdo aos 40, cara a cara com Cech. Dois minutos depois, o Arsenal deu esperanças ao seus torcedores, diminuindo o placar. O suíço Xhaka chutou da entrada da área, e Aubameyang desviou para a rede.

No segundo tempo, o Arsenal chegou a dar a impressão que poderia mudar o panorama da partida, pressionando o adversário no início. Mas teve muita dificuldade para superar a marcação do Brighton. Wenger ainda fez três alterações, colocando Welbeck, Nketiah e Bellerin em campo, mas o time criou poucas chances reais de gol. A melhor foi aos 48, quando Ryan defendeu um arremate Aubameyang na marca do pênalti.

O apito final foi a senha para o aumento dos protestos dos torcedores do Arsenal no Falmer Stadium. Em uma das faixas, a frase: "Wenger fora. Não em 2019. Agora"

Globo Esporte