segunda-feira, 26 de março de 2018

Orgulhoso com campanha, elenco do Mogi valoriza vice da Liga das Américas

(Foto: FIBA Americas)


O Mogi das Cruzes lutou, mas foi superado pelo San Lorenzo por 79 a 71, na noite deste domingo, em Buenos Aires, e acabou como vice-campeão da Liga das Américas de 2018. Apesar da frustração natural pela perda do título, o sentimento que ficou no Mogi é de que a equipe fez seu máximo na decisão do torneio continental.

Ao avaliar a partida, o técnico Guerrinha elogiou a superação do time mogiano, que teve de lidar com problemas durante a final, entre eles a lesão de seu pivô titular, Caio Torres. O treinador aprovou a postura de seus comandados no duelo de domingo e novamente reconheceu a força do San Lorenzo, que foi campeão invicto desta LDA.

– Foi uma luta constante. O time jogou muito bem ofensivamente no primeiro tempo, conseguindo trabalhar bem a rotação. Infelizmente, tivemos a lesão na panturrilha do Caio no início, o Wesley e o Tyrone ficaram pendurados com quatro faltas. Ficamos um pouco atrás e não conseguimos jogar dentro das nossas características por conta de todos esses problemas, mas chegamos no final do jogo com chances de conquistar o título. Mas eles têm um número maior de jogadores, mais descansados, alguns até com mais qualidades, e nós não conseguimos dar esse título tão sonhado para Mogi – disse Guerrinha.

Depois de começar bem e vencer o primeiro quarto por 25 a 20, o Mogi viu o San Lorenzo crescer de produção e igualar o jogo. No terceiro período, a equipe argentina deslanchou e chegou a abrir 15 pontos de vantagem. Os mogianos ainda conseguiram cortar essa diferença e até passar na frente em um ponto no último quarto, mas o San Lorenzo retomou o controle da partida e assegurou a vitória sem sustos.

Após o jogo, o elenco do Mogi procurou valorizar o vice-campeonato da Liga das Américas. Guerrinha e o ala-pivô Tyrone se mostraram orgulhosos com a campanha da equipe, a melhor do clube na história da competição. Antes disso, na edição de 2016, os mogianos haviam ficado com o terceiro lugar.

– O jogo foi muito bom. Graças a Deus chegamos até a final e representamos Mogi das Cruzes. A experiência foi muito boa para o Mogi e para o Brasil. Jogamos contra três times argentinos e ficamos em segundo. Isso é muito bom, e temos orgulho de representar o Brasil. Se Deus quiser, voltaremos no próximo ano para disputar novamente. Agora, nosso time vai mudar o foco totalmente para o NBB para tentar ser campeão – comentou Tyrone, um dos cestinhas da final ao lado de Gabriel Deck, do San Lorenzo, com 22 pontos.

– Com o vice-campeonato, em uma disputa de igual para igual, representando o Brasil dentro da Argentina, temos de ter muito orgulho desses jogadores, que o tempo todo estão jogando na superação, com muita dedicação, muita alma e sendo verdadeiros guerreiros. Tenho certeza que ser o segundo melhor das Américas vai incentivar mais os empresários de Mogi e região para investir no time para a gente continuar esse legado dentro e fora da quadra. É um projeto muito lindo – avaliou Guerrinha.

O Mogi retorna da Argentina nesta segunda-feira e já volta as atenções para o NBB. Na próxima quinta, às 20h, o time recebe o Pinheiros no Hugo Ramos, e na sexta, às 19h, visita a Liga Sorocabana para encerrar sua participação na fase de classificação. Vale lembrar que o Mogi já está garantido na quarta posição e, dessa forma, vai acançar diretamente às quartas de final.

Globo Esporte