terça-feira, 24 de abril de 2018

Para advogado da FPF, pedido de impugnação da final pelo Palmeiras não terá futuro

(Foto: Reprodução)


Segundo a Federação Paulista de Futebol, Marcio Verri Brandão, membro da comissão de arbitragem da entidade, estava à beira do campo no segundo tempo da final entre Palmeiras e Corinthians – supostamente portando um celular, segundo investigação do Palmeiras – para tentar auxiliar na retirada de um helicóptero de um torcedor alvinegro que sobrevoava a arena alviverde durante o jogo que encerrou o Campeonato Paulista.

Esta é a versão de Marcio Andraus, advogado do escritório CCLA, que foi contratada pela FPF para representar a entidade no inquérito, arquivado na segunda-feira, que investigou uma suposta interferência externa na anulação do pênalti de Ralf em Dudu – o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza marcou a falta dentro da área aos 26 minutos do segundo, mas depois voltou atrás.

– Tem até funcionários do Palmeiras perto dele (Marcio Verri Brandão) quando estava em campo. Ele era o oficial de logística. Ele foi da Força Aérea por 20 anos e estava ligando para pessoas para tentar resolver o problema do helicóptero. Tentou ligar de dentro do túnel e não conseguiu, subiu, acompanhado de funcionários do Palmeiras, e ligou pedindo auxílio para resolver esse problema, que era algo grave. O Palmeiras sabe o que foi conversado, e o próprio Verri tem mensagens de funcionários do Palmeiras agradecendo o trabalho que ele fez para tentar tirar o helicóptero de cima do estádio – explicou o advogado da empresa contratada pela FPF.

No parecer da Federação Paulista de Futebol, o pedido de impugnação do jogo de volta da final do Paulistão, que o Palmeiras fará até a próxima quarta-feira, não terá continuidade na Justiça desportiva. Isso porque, no entender dos advogados, o prazo para o pedido de anulação do jogo já foi encerrado.

– O Palmeiras não pediu a impugnação de partida no prazo correto, dois dias após a entrada da súmula. O pedido de instauração de inquérito não interrompe o prazo da impugnação da partida. São procedimentos diversos – afirmou Marcio Andraus.

A partir de um relatório feito por uma empresa de investigação contratada, o Palmeiras apresentará ao TJD até quarta-feira o pedido de impugnação da partida. O clube reuniu vídeos e fotos que mostram a atuação dos membros da comissão da arbitragem da FPF durante o período entre a marcação do pênalti e a anulação do lance. As imagens que mostram a possível Verri em campo próximo a Dionísio não foram citadas.

TJD aguarda posição do Palmeiras

Como o departamento jurídico do Palmeiras ainda não protocolou o pedido de impugnação da partida, o Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo aguarda para avaliar o caso.

Em contato com a reportagem do GloboEsporte.com, Antônio Olim, presidente do TJD, afirmou que para o caso voltar a ser analisado pelo Tribunal há a necessidade da apresentação de novas provas que mostrem interferência externa da partida, discurso que já havia sido adotado pelo auditor na última segunda-feira, durante apresentação do relatório que determinou o arquivamento do caso.

Se o TJD decidir por não avaliar o pedido palmeirense, o clube pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva e ao CAS (Corte Arbitral do Esporte).

Globo Esporte